Arquivo mensal: abril 2018

Esperança

Desde sempre ouvimos que a esperança é a última que morre.

Realmente é um grande ditado, pois não podemos, de forma nenhuma, perder a fé, e devemos sempre esperar que nossos sonhos e projetos se realizem.

Para que isso aconteça, a primeira providência é realmente nos colocarmos na luta para que tudo o que idealizarmos seja concretizado, de acordo com aquilo que sonhamos.

Não é fácil, claro que não, pois muitas vezes não depende de nós a solução de algum problema, e então começa uma luta que pode ser vitoriosa ou não.

Então, mesmo esperando os resultados positivos no que empreendermos, devemos batalhar para que cheguemos ao resultado aguardado, e que provavelmente seria ou deveria ser o ideal para aquilo que possa se realizar dentro dos planos iniciais.

E, da mesma forma, teremos que estar preparados para que os resultados não sejam os nossos ideais, e sabermos que a luta deve continuar, afim de que possamos atingir o que idealizamos.

Nunca desanimarmos deve ser nosso lema, o que significa a renovação de ideais, a vontade de realização daquilo que idealizamos, seja em que âmbito for.

Sempre ouvimos que se nossa mente é capaz de idealizar, seremos capazes de colocar em prática aquilo com que sonhamos.

Claro que nem sempre temos a capacidade de fazer o que desejamos, mas pelo menos batalhar para que aconteça, isso podemos, sem sombra de dúvida.

Considerando a vontade que temos de verem realizados nossos ideais, a luta se torna algo que faça parte de nossa vida, seja pessoal ou profissional.

Mesmo porque, quando desejamos e esperamos algo, automaticamente iniciamos uma luta, primeiro no nosso íntimo.

E essa espera já trabalha nossa mente no sentido que aconteça aquilo que imaginamos como executado.

A esperança faz com que lutemos mais ainda por aquilo que programamos, e começamos então a viver até mesmo os resultados pelos quais batalhamos anteriormente.

Evidentemente, devemos esperar que aconteçam fatos pelos quais empreendemos essa nossa batalha e que tenhamos a capacidade de criar e enfrentar, pois muitas vezes temos diversos fatores que nos impedem de realizar, seja por falta de formação, por medo, por incapacidade de maneira geral.

A esperança requer uma certa constância, quer dizer, devemos acreditar que o que sonhamos, na maioria das vezes é possível, até mesmo quando há indicações contrárias, mas o que não podemos nos esquecer é que tudo pelo qual lutamos e queremos requer, principalmente, perseverança.

E nesse sentido, o que não podemos é deixar de acreditar que algo que fomos capazes de idealizar, quase sempre somos capazes de realizar.

Dizer que é fácil, nem sempre, mas o fato de conseguirmos vencer, seguramente nos trará a satisfação da vitória alcançada, e nunca desanimarmos se isso não se der da primeira vez, vamos lutar e lutar sempre para que cheguemos ao resultado com o qual sonhamos.

Abraços e bom domingo, com esperança renovada, sempre 🙂

Amanda

Anúncios

Importância

Importância é uma palavra que pode trazer interpretações diferentes, e com sentidos e sentimentos diversos.

Muitas vezes, achamos que não demos a devida importância a determinados assuntos, acontecimentos e situações que exigiriam nossa atenção mais detalhada. E em outras, questionamos se demos importância demais a algo não tão relevante no contexto geral da vida.

O nível certo de peso que damos a um posicionamento é o que gera o equilíbrio nas nossas atitudes. Mas claro, sem nos colocarmos em posição neutra, o que significaria timidez em expor o que realmente pensamos, e poderia mesmo ser interpretado como uma espécie de covardia.

Por isso dizemos que a importância é uma palavra de interpretação muito delicada. Seu emprego numa frase ou numa conversa pode determinar, e até mesmo mudar, o rumo do entendimento.

Devemos ter uma constante vigilância nos critérios de importância, para não valorizarmos inadequadamente situações do nosso cotidiano.

Sabemos que não é fácil darmos sempre o justo peso a diferentes acontecimentos que nos cercam, mas se fizermos um esforço mental para conseguirmos distinguir o que seria mais justo em tudo o que nos propomos, com certeza iremos conseguir.

E ficaremos felizes ao vermos que o nosso objetivo tenha sido alcançado.

Mas não devemos, de forma nenhuma, dar importância exagerada a algo pelas razões erradas, baseado no prestígio de alguém, seu status social, ou na sua possibilidade de aquisição de bens materiais.

Devemos sim, sermos isentos de tendências protecionistas, para chegarmos a um juízo correto o mais possível.

Quando falamos de importância, nos referimos mesmo à dimensão que certos acontecimentos podem tomar, e é nesses casos que devemos ter cuidado para que nosso juízo não tome a proporção errada ou exagerada, pois em muitos casos não teria a volta que antecipávamos ou desejaríamos.

Assim, tenhamos cuidado para não interpretarmos o conceito erradamente, confundindo nosso juízo com o poder financeiro ou social de quem estaríamos conjeturando.

E não nos esquecendo da  relatividade, que pode interferir no valor que damos para um e para outro, dependendo sempre da educação, da idade, da maneira de ser de cada um de nós, das nossas dificuldades em diversos setores, etc.

Importante, portanto, não deixarmos que a emoção tome conta e tentarmos desenvolver nossa capacidade de nos adaptarmos a situações de risco e de dificuldade, pois é inevitável que surjam em nossa vida.

Abraços e tentemos fazer sempre a diferença entre o que seja de maior ou menos importância para que não entremos em choque e vivamos felizes 🙂

Amanda

Idealismo

O idealismo tem como idéia contrária o materialismo.

E significa que consideramos o ideal, aquilo que temos como meta, representação das coisas sob a forma ideal, e a capacidade de nossa inteligência para idealizar, sonhar com aquilo que desejamos se cumpra.

Pois sempre se diz, se somos capazes de imaginar e sonhar com algo que queremos, e somos capazes de idealizar, somos capazes de realizar.

Claro que, muitas vezes, isso não é nada fácil na vida prática, mas devemos instituir nossa luta no sentido de chegarmos a atingir a meta desejada inicialmente por nós.

E essa luta se inicia com o sonho de conseguirmos realizar nossos objetivos, tanto profissional como pessoalmente, e nosso desejo de realização e progresso na vida.

E se combatemos para que tudo que queremos se realize, é porque sabemos que estaremos sendo justos, e a luta se torna algo objetivo e firme, e, com certeza, os resultados tendem a se tornar sempre positivos e satisfatórios para quem empreendeu a batalha.

Todos nós idealizamos através de sonhos e desejos, os resultados que queremos e lutamos para que isso aconteça, em todos os aspectos.

E se somos capazes de idealizar, seremos com certeza, capazes de lutar para que tudo se realize, por isso a luta é primordial para conseguirmos aquilo com que sonhamos.

O idealismo pode mesmo, e é, considerado um sonho, mas mesmo o idealista pode dizer que sempre lutou e luta por algo melhor, dentro de seus conceitos, claro.

Assim, se temos um ideal, é porque temos a capacidade de imaginar e batalhar por alcançá-lo, e nossa força de vontade quase sempre é recompensada pelos resultados que consigamos obter.

O idealista, de maneira geral, é um otimista, pois crê que poderá atingir seus objetivos e sai para a luta, tentando sempre fazer um mundo melhor à sua volta, e em benefício de outros que o rodeiam.

Ele crê sempre nos bons resultados daquilo que empreende, seja na área social, ou profissional, tendo, portanto, a capacidade de ajudar seu próximo, no sentido de conseguir para ele uma posição, um trabalho, etc.

Devemos, portanto, nunca desistir de nossos sonhos e desejos de realização, no sentido emocional e profissional, para atingirmos os resultados através da luta pelas nossas convicções.

Abraços e bom domingo, tentando sempre defender nossos ideais 🙂

Amanda

Dar opinião

É um problema sério e que costuma acontecer mais do que nos lembramos ou que valorizamos, mas se pensarmos bem, veremos que ocorre também mais do que desejaríamos.

Quantas vezes pensamos que estaríamos tornando um contato mais amistoso e carinhoso, com qualquer nível de amizade que temos, dos mais cerimoniosos aos mais íntimos, e ouvimos algo que nos desagrada.

Achamos que estaríamos prontos para alguma ocasião, na qual tivemos o propósito de agradar a quem nos acompanha ou que tenha nos convidado, e ao invés de ouvirmos palavras de incentivo, claro que sinceras, ouvimos criticas indevidas, seja a respeito de horário, de roupa inadequada, etc.

O respeito é muito bom e uma opinião só deve ser emitida quando solicitada, pois caso contrário, poderá soar como um palpite inoportuno.

Isso em qualquer tipo de realização, seja social, seja na aparência física, em todo tipo de atividade que envolva o nosso próximo.

Se não pedimos opinião, é porque estamos certos de estarmos atingindo o melhor que teríamos conseguido imaginar, e nosso intuito de agradar deverá ser levado em consideração.

Isso ameniza qualquer falha que teríamos, por acaso, cometido.

E, se pedimos, ou se nos pedem uma sugestão, essa opinião deverá ser sincera, mas mesmo assim, colocada de forma delicada sem ofender quem a solicitou.

Mesmo porque, o ponto de vista de cada um é extremamente pessoal, e que a pessoa acredita ser verdadeiro, e as opiniões que cada um vai emitir, também dependem das aspirações pessoais e do nível e maturidade psicológica de cada um de nós.

Assim, temos que ter muita cautela na emissão de uma opinião, pois ela pode soar como discriminatória e ofensiva para outros.

A opinião é uma forma pessoal de ver e representa o estado de espírito da atitude de uma pessoa ou de um grupo em relação à sua própria realidade.

Mesmo que não seja o nosso ponto de vista, devemos considerar que todo enfoque depende de diversos fatores, tanto sociais, quanto de culturas diferentes em que somos criados e educados, então a crítica deverá ser muito cautelosa, pois podemos cometer injustiças, mesmo sem o desejarmos.

Lembrando também que uma opinião, mesmo que sincera, emitida em momento inoportuno ou em público pode humilhar a pessoa que está sendo alvo e ocasionar uma inimizade, ainda mais se não foi solicitada.

Corrigir ou criticar alguém em público é uma forma de humilhação que nem todas as pessoas suportam com elegância e discretamente.

Por isso, devemos nos cuidar muito ao emitirmos nossa opinião sobre algum assunto, principalmente se não tenhamos sido solicitados, evitando sempre o pior dos erros, que é corrigir alguém em público.

Abraços e bom domingo sem criticas inúteis 🙂

Amanda

Desatenção

Quando falamos em desatenção, nos referimos sempre em deixarmos de dar a atenção necessária a alguma necessidade que pessoas amigas estariam passando, e a qual teríamos condições de atender.

E, muita vezes, são situações que não trariam muito ou nenhum sacrifício de nossa parte, e sim dependeriam de nos organizarmos para atendê-las.

O que poderia ser, na maioria das vezes, um grande alivio para quem recebesse esse tipo de atenção, e que poderia dar um grande alívio à sua vida diária.

Sabemos que, em algumas ocasiões, o que não tem importância para uns, seria de grande serventia para outros, por isso não podemos perder a chance de tentarmos ajudar em qualquer ocasião que se fizer necessária e que temos condições de fazê-lo.

Se estivermos atentos no sentido de tentarmos socorrer alguém, com certeza, ficaremos felizes em conseguirmos algum resultado que ajude a pessoa a sair de uma situação difícil.

A desatenção é a capacidade limitada de permanecer atento por um tempo necessário a fim de realizar determinada tarefa, e às vezes pagamos caro por isso, sem condições de reverter determinada situação.

Devemos, assim, prestar atenção a sintomas que podem identificar nossa desatenção, como a dificuldade de acertar atividades escolares, quando parecemos não escutar quando estão se dirigindo a nós, apresentarmos esquecimentos frequentes, distrairmos facilmente por estímulos alheios ao assunto em questão naquele momento, e outros detalhes aos quais não estamos atentos.

Por isso devemos prestar atenção ao nível de inquietude, impulsividade mesmo desde a infância, pois se associa a dificuldades na escola e no relacionamento, e nas crianças podem até serem confundidas com avoadas, estabanadas, e na fase adulta, problemas de desatenção podem ser considerados como egoísmo.

E, no caso, é importante mantermos o contato com profissionais especializados que poderão prestar a ajuda necessária e tratamento adequado no sentido de as pessoas com esse déficit, terem a condição de se enquadrar num ambiente onde não sofram nenhuma discriminação.

Especialistas dizem que o primeiro diferencial entre a desatenção e déficit de atenção é a duração: a distração comum, como dizem, é passageira, tem um início e tem um fim. E cessa quando cessa o estímulo que a causou.

Explicam também que o ideal é sempre tentarmos aumentar nossa capacidade de concentração, pois ela amplia a capacidade de memorização, evitando mesmo que soframos acidentes, e aumentando também nossa aptidão em vários setores.

Por isso, vamos ajudar a natureza tentando praticar o combate à desatenção, vivendo em ambiente organizado, criando uma rotina em nossas atividades, dividindo as responsabilidades, sem egoísmo e sem vaidade.

Essas seriam algumas dicas que sempre tentamos seguir de acordo com especialistas que lemos e estudamos.

Vamos lá!

Abraços e bom domingo, com maior nível de atenção que consigamos ter em nossa vida 🙂

Amanda