Arquivos do Blog

Hábitos

Adquirimos hábitos durante nossa vida a partir da infância, pois sempre que nos apresentam algo que não conhecemos, temos a tendência de escolher.

Ou não gostamos do que acabamos de conhecer, ou, ao contrário, podemos nos encantar, e fazer dessa novidade um hábito.

Mas devemos ter muito cuidado e analisarmos se essa inovação será útil e não nos prejudicará, nem a outras pessoas que nos rodeiam.

Os hábitos saudáveis, sejam particulares ou profissionais, devem ser bem cultivados, bem analisados, para que possam se tornar algo que faça sempre bem à nossa vida, seja pessoal ou profissional.

Particulares só dependem de nós mesmos, pois usamos nosso raciocínio e poder de decisão para instituirmos seu uso e a medida com que o fazemos.

Assim, devemos sempre cultivar esses hábitos, depois de usá-los e analisar os resultados que eles nos proporcionam, tanto física, quanto espiritualmente.

Na verdade, nossa vida é sempre recheada desses costumes, que vamos adquirindo através de nossa vivência diária.

E se tivermos a consciência nesse sentido, devemos usar nosso raciocínio para tentarmos conseguir os resultados que nos auxiliem em nossa vida.  E assim, devemos usar sempre também de nosso raciocínio para evitarmos de adquirir costumes que possam prejudicar aos outros ou a nós mesmos.

Portanto, o segredo é pensarmos bem antes de agirmos para não incorrermos em hábitos dos quais nos arrependamos depois.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Extremos

Não devemos, em nenhuma área de nossa atividade, seja material ou espiritual, atingirmos o extremo, pois podemos ficar muito frustrados caso não alcancemos aquilo que imaginaríamos fazê-lo.

Atingir extremos, além de difícil, pode impedir que realizemos nossos objetivos.

Para evitarmos, portanto, qualquer tipo de decepção, devemos procurar planejar e lutar, com toda seriedade e análise imparcial, para não sofrermos as desilusões advindas da não realização daquilo que desejarmos.

Mesmo porque extremos não são agradáveis em nenhuma área de nossa vida, pois aprendemos desde cedo que a medida passível de ser atingida nos traz a satisfação de vermos concretizados nossos projetos. 

Extremos não são benvindos, principalmente na nossa vida prática, pois devemos manter sempre a consciência daquilo que temos ou não a capacidade de realizarmos.

Em muitos casos, não depende de nós, ou de quem nos rodeia, a execução e o resultado daquilo que imaginamos, portanto devemos manter sempre o juízo realista daquilo que planejamos conquistar.

Seja do ponto de vista material ou espiritual, uma conquista de um trabalho, de um amigo, etc.

Portanto, vamos procurar desenvolver o cálculo dos extremos para que tentemos sempre evitar erros ou omissões que possam nos prejudicar.

O equilíbrio é a grande arma que devemos usar em todos os ângulos de nossas atividades, para evitarmos os problemas que o exagero pode nos trazer.

Raciocinar é a grande medida de uma vivência equilibrada!

Abraços e ótimo domingo, sem extremos 🙂

Amanda

Meio Termo

Sempre que usamos essa expressão, devemos realmente aplicá-la com muito cuidado.

Pois se não agirmos dessa forma, poderemos correr o risco de cometermos exageros em algum aspecto daquilo a que estamos nos referindo.

Quando somos solicitados a emitir nossa opinião a respeito de algo que esteja sendo aventado naquele momento, temos que nos posicionar somente após um grande e detalhado raciocínio.

Exatamente para evitar de cometermos algum engano que poderá ser difícil de conseguirmos retificar depois.

Não é fácil, pois quem nos solicita é porque tem dúvidas e está precisando mesmo de uma opinião sincera.

Então pensemos bem antes de emitirmos nossa forma de agir naquela determinada situação, para que, ao mesmo tempo que sejamos sinceros, possamos conseguir dizer sem ofensa nossa opinião.

Esse pode ser o meio termo, dizer o que pensamos com sinceridade, mas sem ofensa.

Fácil, evidentemente não é, mas devemos raciocinar sempre que emitimos nossas ideias, pois muitas vezes algo que dizemos com uma boa intenção, pode ser interpretado como uma ofensa.

Então quando falamos em meio termo, não quer dizer que não sejamos sinceros naquilo que emitimos a respeito de algo a ser feito.

E sim dizermos o que pensamos, uma vez solicitados, mas sem ofendermos a quem nos pediu a opinião.

Pois, nem sempre a pessoa que pediu uma opinião está pronta para escutá-la, e nesse caso respeitemos.

Esse é um aspecto da amizade, que deve ser valorizada em qualquer situação.

Abraços 🙂

Amanda

Perspectivas

Nosso raciocínio deve ser muito bem cultivado, pois sempre temos algo pelo qual opinamos e é bom raciocinarmos se nossa opinião não irá ofender alguém ao nosso redor.

Mesmo porque nossa opinião, ao ser emitida, normalmente está ligada ao nosso ponto de vista, e do conhecimento que temos a respeito de cada assunto que estiver sendo aventado naquele momento.

E tudo o que temos que aceitar ou não dentro de nossas atividades, sejam particulares ou profissionais, independe ou deverá independer de nossa atividade.

Assim também a relação de amizade que existirá entre pessoas que participem do interesse relativo ao assunto do momento.

Importante raciocinarmos dentro da nossa perspectiva, que é o nosso ponto de vista, pensando nos resultados que poderão ser obtidos após uma determinada pesquisa, ou lançamento de alguma ideia nova que estaria sendo exposta.

Temos sempre que pensar na esperança de vida, pois nossa vida depende muito da forma que olhamos para ela.

E com equilíbrio, que é a habilidade de olhar para a vida a partir de uma perspectiva clara, e assim tentarmos fazer a coisa certa, no momento certo.

Não nos esqueçamos de que nossa vida depende muito da maneira como olhamos para ela e como lutamos para alcançar os objetivos que passamos a ter.

A perspectiva tem uma denotação de expectativa, esperança ou de metas a serem alcançadas.

Importante, portanto, não permitir que as situações, por mais difíceis que sejam, dominem toda a situação e deixemos de lutar e aguardar que as perspectivas se tornem a realidade e nos façam felizes.

Abraços felizes pelo êxito que alcançamos através das perspectivas que tivemos em nossa vida!

Bom domingo 🙂

Amanda

Posicionamento

Todas as vezes que ouvimos algo e somos solicitados a opinar ou a completar uma ideia, automaticamente fazemos um raciocínio, ou até um julgamento, a respeito.

Nos posicionamos sobre o assunto e nos colocamos a favor ou contra o que estaria sendo exposto naquele momento.

E para nos expormos sobre determinado assunto ou ideia colocada, devemos ter, além da nossa própria opinião, o conhecimento necessário para emitirmos nosso conceito sem cometermos algum erro.

Erro esse que pode se tornar algo difícil de ser acertado numa ocasião futura.

Por isso, para nos colocarmos a respeito de algo já exposto, devemos manter um posicionamento sem o provável erro que denote uma falta de conhecimento adequado à ocasião.

Pois o posicionamento é a ação de se colocar em relação a algo, ou seja, tomar uma atitude e assumir um partido sobre determinado assunto.

Por isso, em marketing, é importante conhecer bem o que esteja sendo tratado para que consigamos projetar o produto em questão e colocar a marca para que as vendas sejam satisfatórias e que tenham bom proveito a quem tiver a oportunidade de usá-la.

O posicionamento seria a ação de projetar determinado produto e a imagem de quem o produz, para que possa ocupar uma posição diferenciada na escala de seu público-alvo.

Assim, a percepção do público sobre a mercadoria depende de um planejamento sério e bem posicionado de marketing para que possamos nos tornar conhecidos e que os resultados que anunciamos sejam alcançados.

E o principal, apostarmos em nichos de mercado apropriado.  Ou seja, posicionado!

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda