Arquivo mensal: agosto 2018

Afeição

Existem várias formas de amarmos, e afeição é uma delas, quando nos afeiçoamos a algumas pessoas, muitas vezes, sem razão aparente.

E quanto mais dedicamos amor a várias pessoas, mais felizes nos sentimos, pois de alguma forma, recebemos também esse carinho, a dedicação e o agradecimento por lhes dedicarmos um tipo de afeição, que sempre é acompanhado do desejo de tentar fazer o outro feliz.

E a afeição não é necessariamente o amor apaixonado entre duas pessoas, mas o amor carinhoso, fraternal, que temos para com amigos, parentes, etc.

Nos afetuamos para com amigas e amigos que se dedicam a nós, se colocando sempre na nossa vida, desejando nos fazer felizes dentro da convivência que nos foi apresentada, e que pode ter vindo de diversas maneiras, seja no colégio, na igreja, no trabalho, etc.

E em qualquer circunstância em que fomos nos conhecendo melhor, fazemos muitas vezes, amizades tão queridas, e cuja convivência vai se tornando mais forte conforme nossas semelhanças vão aparecendo.

E isso só é mostrado com a aproximação de nossas vidas, pois as situações se apresentam e vamos tendo as chances de nos mostrarmos como somos, a disposição que temos para ajudar nossos amigos a solucionar seus problemas, se isso for possível, e se permitirmos que aconteça.

Nada nos custa tentarmos ajudar alguém que necessita de nós, e podem crer, a maioria sem que não nos prejudique em nenhum setor, exigindo somente nossa boa vontade e disposição, pois a ajuda pode vir, ocasionalmente, de atitudes e palavras que transformam algum tipo de situação.

Isso é um tipo de afeição que não tem preço.

Demonstrações de amizade não dependem de ajuda financeira, mas uma simples palavra de afeto que pode mudar a atitude de alguém, que só precisava de dedicação e carinho.

Muitas vezes, uma atitude carinhosa é, de fato, um simples gesto que pode inspirar segurança e mudar, com isso, a maneira de agir, transformando assim o resultado que se esperava conseguir.

Tudo isso é uma forma de afeição, de carinho e amizade que podem mudar todo o andamento de vários tipos de processos, sejam eles amorosos, jurídicos, profissionais, etc.

A afeição une as pessoas, e ameniza até mesmo situações mais difíceis de serem resolvidas em outras circunstâncias, pois o carinho é invencível em casos que, de outra maneira, seria mais difícil de serem resolvidos satisfatoriamente.

O tratamento afetuoso modifica momentos delicados que, se tratados brutalmente, teriam resultados até mesmo desastrosos, e de difícil mudança no sentido de amenizar o que havia sido provocado anteriormente.

Portanto, devemos trabalhar nossas atitudes para nunca provocarmos reações desagradáveis, e para as quais não poderíamos ter a solução adequada.

Agir afetuosamente, sempre! Isso une as pessoas. Com certeza!

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Guardar mágoas

Guardar mágoas não leva a nada, aprendi desde cedo, no sentido de não ficarmos sofrendo sem conseguirmos esquecer ou perdoar algo que nos tenham feito e que tenha nos magoado.

Rancor não constrói e somente serve para prejudicar, muitas vezes, uma grande amizade.

Se alguém nos fez algo que nos desagradasse ou nos magoasse, temos que tentar entender até mesmo o ponto de vista daquela pessoa, e pensarmos que se estivéssemos no seu lugar naquela situação, será que não agiríamos da mesma maneira?

Inclusive pensarmos que talvez tenhamos agido de maneira inadequada naquela situação, e achássemos que tínhamos razão.

Por isso, sempre digo que devemos pensar bem antes de tomarmos alguma atitude inadequada provocada pela irritação do momento e fazendo com que tivéssemos reações que, de cabeça fria, não teríamos de forma nenhuma.

Claro que não somos perfeitos e, às vezes, respondemos dentro do instinto com a primeira reação que nos foi provocada, mas se conseguirmos raciocinar, poderíamos fazer de outra forma e nossas respostas seriam outras, menos agressivas.

Fácil não é, claro, se assim fosse não haveriam tantas divergências.

Muitas vezes, quem tem a reação pode até estar com a razão, só que normalmente não leva a nada, e sim a inimizades irrevogáveis, das quais as pessoas se arrependem.

E aí entra nosso raciocínio e a tentativa de que esse mal estar não se perpetue, nos dando a oportunidade do perdão e da compreensão, na maioria dos casos.

Evidentemente, podemos nos magoar com algo que nos foi dito, com alguma atitude que não esperávamos, mas o que defendemos, é que na maioria dos casos, poderíamos tentar perdoar e seguir algum relacionamento que tenha sido interessante e precioso para nós.

E, para isso, o diálogo é insubstituível.

Li uma vez e se tem dúvida a quem é atribuído: “Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra”.

Mágoas não trazem felicidade, e se conseguimos perdoar, com certeza nos sentiremos melhores pessoas, e viveremos melhor, curtindo nossos momentos felizes e sem aquele peso da raiva que só nos consome, e não leva a nada, mesmo!

Abraços e bom domingo, sem curtirmos mágoas inutilmente 🙂

Amanda

 

Reflexão

Refletir é algo que devemos tentar fazer sempre, pois nossa vida é feita de decisões, de tomada de atitudes que exigem de nós muita reflexão, no sentido de errarmos o menos possível.

Fácil, evidentemente não é, pois não somos infalíveis e estamos sempre sujeitos a erros durante nossa vida, mas tentemos, ao menos, cada vez mais, tomarmos decisões acertadas, tanto na vida pessoal, como na profissional.

Se passamos a refletir mais sobre assuntos que temos que enfrentar e decidir, teremos menos chances de errarmos, ou que isso aconteça de forma que possamos corrigir assim que necessário, de acordo com decisões que tenhamos que tomar.

Quanto mais pensamos e pesamos sobre a tomada de atitude, seja em que contexto for, teremos mais possibilidade de acerto, com certeza, pois a precipitação não ajuda nem um pouco.

Pensar antes de agir é uma das principais lições que recebemos de nossos pais e educadores, e se seguirmos ou tentarmos seguir essa pequena regra, possivelmente agiremos com mais calma e erraremos menos.

Como dizia minha mamy, por isso que a cabeça nasceu acima do nosso corpo.

Parece simples, mas de fato, muitas vezes podemos nos arrepender de termos tomado uma atitude, que pensando melhor, não tomaríamos.

Para quase tudo neste mundo encontramos uma solução, e se refletirmos melhor, sempre chegará para nós uma forma de resolvermos a questão que se apresentou naquele momento.

A reflexão nos mostra, normalmente, o caminho mais certo e seguro que deveremos seguir na solução de nossos problemas do dia a dia, pois o que não devemos fazer é agir precipitadamente para evitarmos de cometer erros que podem ficar de difícil solução depois de executados.

É a análise do comportamento, de um fato, de uma pesquisa, tudo enfim, que exige de nós uma solução ideal, com menos possibilidade de errarmos, seja em que âmbito for.

E não deixa de ser uma tomada de consciência, meditação sobre fatos, circunstâncias, antes de se tomar uma decisão importante, para que evitemos erros possíveis de ocorrer por causa da pressa em se desejar uma solução naquele momento.

Refletir é um ato de analisar tudo que está ao nosso redor, e entender melhor porque as coisas acontecem, os erros e acertos de cada situação e suas consequências.

É a análise do próprio comportamento e de como sempre poderíamos melhorar, tanto nossas atitudes, quanto a relação com nosso próximo.

Refletir, portanto, é um sinal de desprendimento, de inteligência, da falta de egoísmo que pode nos trazer muitos benefícios, tanto em nossa vida familiar, como nas amizades que conquistamos e que não queremos perder.

Abraços e bom domingo, com muita reflexão 🙂

Amanda

Ressentimento

Guardar mágoas é algo que devemos evitar, pois não leva a nada, não muda o que se passou, e pode atrapalhar toda uma convivência, onde se poderia usufruir de momentos tão maravilhosos e que se perderam por não haver compreensão e perdão.

Mesmo porque sempre devemos pensar bem antes de dizermos algo, de responder a alguma possível mágoa que tenham nos causado, pois pode ter sido algo sem nenhum propósito ou planejamento.

Claro que, muitas vezes, não é fácil e é por isso que devemos sempre que conseguirmos, usarmos o raciocínio, ao invés de nos entregarmos à emoção, pura e simplesmente.

Recebemos, às vezes, observações e respostas de alguém que não esperávamos, e que podem até mesmo nos ofender, dependendo da forma como são ditas.

Mas ai entra nosso nível de tolerância, ao qual já nos referimos algumas vezes, e dentro dos limites da educação que devemos ter em qualquer situação, podemos colocar nossos pontos de vista sem que ofendamos as pessoas com as quais estaríamos dialogando.

Se tivermos a oportunidade do famoso diálogo, as dificuldades podem diminuir e os diversos pontos de vista poderão ser discutidos sem ofensas, e sem ressentimento por serem diferentes uns dos outros.

Inclusive, devemos entender que pontos de vista difere de pessoa para pessoa, dependendo do ambiente em que vive cada um de nós, da educação que recebemos, dos valores que damos a situações diversas, nas quais vivemos ou estamos vivendo naquele momento.

O importante é estarmos sempre conscientes de que o ponto de vista de cada um de nós depende muito de circunstâncias onde estariam inseridos, da educação e de conceitos diferentes que cada um teria a respeito do assunto em questão.

Por isso, antes de guardarmos ou incentivarmos nosso ressentimento, devemos pesar todas as circunstâncias em que algum ato desagradável tenha sido cometido.

Assim, possivelmente, conseguiremos nos resguardar de ressentimentos, tentando entender nossos circunstantes, a razão pela qual eles teriam agido daquela maneira.

Claro que podemos, às vezes, nos darmos de encontro com situações difíceis de serem contornadas, mas felizmente isso é algo raro, e temos que tentar resolver, sem que tomemos atitudes precipitadas.

Pensar antes de agir, grande segredo de convivência pelo menos satisfatória!

Abraços e bom domingo, sem ressentimentos para sermos mais felizes 🙂

Amanda