Displicência

Quando falamos em displicência, nos referimos a falta de cuidado, desleixo em relação a algo que deveria ser executado ou lembrado, e pode significar até negligencia ao se tratar de determinada situação que exige responsabilidade.

A displicência pode ser confundida com a imprudência, o que, na verdade, é uma imprevidência, onde não são tomados os cuidados necessários que deveriam normalmente ser tomados por qualquer pessoa.

Mas o imprudente, muitas vezes, pode ser até ingênuo, uma pessoa que sabe do risco que estaria correndo e mesmo assim acredita que sua “imprudência” ou desconsideração se passe sem danos para ninguém.

Já o displicente tem uma falta de cuidado absoluta, que decorre da omissão, tendo consciência do que seu comportamento poderia ocasionar ao cometer uma ousadia que coloque em risco a vida de alguém.

Educar nossa observação é um fator que sempre nos ajudará a eliminar ou mesmo diminuir a possibilidade de algo acontecer sem que tenhamos nos cuidado para evitar um acontecimento imprevisto, ou mesmo uma desgraça.

Para isso, temos que estar sempre atentos, tanto para um problema físico, quanto para uma possível doença que, ao detectarmos um sinal, quem sabe consigamos eliminar antes mesmo que aconteça.

Não devemos nos deixar levar pela eventual falta de motivação, de disposição, ou mesmo de interesse, e sim cultivarmos nosso cuidado e atenção no sentido de podermos auxiliar nosso próximo.

A linha é tênue entre a displicência, a imprudência e a imperícia, se pensarmos que dependendo da atitude que se toma, essa pode ser a responsável por alguma decorrência desagradável.

Assim seria, por exemplo, o caso de alguém deixar de levar um veículo para a manutenção, pois sua displicência poderia provocar um sério acidente, e graves consequências.

Mas negligenciar a saúde para mim é mais perigoso ainda, uma falta de responsabilidade de nossa parte, pois quanto mais tentamos nos cuidar, menor a possibilidade de uma doença poder se desenvolver.

Claro que podemos ter os chamados imprevistos, portanto devemos tentar prever e prevenir sempre que possível, tanto em relação a saúde, quanto negócios e relacionamentos, para evitarmos situações que não desejaríamos.

E que, talvez se tornariam impossíveis de consertar.  Tarde demais!

Temos que, ao menos tentarmos, ser surpreendidos o mínimo possível por acontecimentos desastrosos e tristes. Para isso, nos eduquemos no sentido de não negligenciarmos de nenhuma forma, toda e qualquer possibilidade de que algo saia de maneira diferente da que planejamos e desejamos.

Toda e qualquer atitude nossa deverá ser minuciosamente planejada e ao ser tomada, contar com suas consequências, e a cada mudança de trajeto, estudarmos como podemos suportá-las e superá-las.

A única coisa que podemos fazer é estarmos atentos para não perdermos de vista todos os sinais de ocorrências que poderão mudar toda uma vida.

Abraços e bom domingo, com displicência zero 🙂

Amanda

 

Anúncios

Publicado em fevereiro 4, 2018, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Gostei do texto, querida! A Educação desde o berço é fundamental para incutir senso de responsabilidade na cabecinha de nossas crianças. Boa seamna, bjs Regina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s