Arquivo mensal: junho 2019

Rejeição

Quando falamos em rejeitar algo ou algum relacionamento que nos chega, pensamos sempre na razão que nos leva a essa recusa.

Em princípio, nossa tendência natural é de relacionarmos e nos aproximarmos de pessoas que teriam ideias e atitudes semelhantes às nossas.

Sabemos que os opostos se atraem, mas de outro lado para uma convivência mais intensa, sempre acreditei em afinidades que facilitam a vida diária, evitando assim aqueles relacionamentos que teríamos que nos sujeitar a diferenças que nem sempre nos fazem bem.

No longo prazo, diferenças podem nos tornar infelizes e impedirem de encontrarmos uma fórmula ideal para convivermos sem que nos sintamos agredidos.

Claro, as diferenças, dependendo de sua natureza e intensidade, podem ser incorporadas a um e outro, até como um aprendizado e uma forma de progresso.

Mas para isso, temos que ser humildes para podermos aprender com as diferenças e não cultivarmos a rejeição automaticamente, sem deixarmos que nossa vaidade fale mais alto, ao acharmos que sabemos mais do que o outro.

Ao rejeitarmos sem uma análise mais profunda e imparcial, podemos estar rejeitando também uma oportunidade de aprendizado que pode nos levar ao progresso tanto emocional quanto em nossa vida prática. E até mesmo nos negócios.

Humildade é sempre necessário para aprendermos em todos os sentidos, pois se aprendemos a respeitar as opiniões de quem nos cerca, ao invés de rejeitar, podemos crescer.

E para isso, temos sim que rejeitar a vaidade que temos naturalmente.

Importante rejeitar o que não for bom e que não traz resultados positivos em nossa vida.  Isso é um sinal de inteligência e vontade de vencer!

Abraços e bom domingo, tentando decidir sempre o melhor para nós, aceitando e rejeitando com a razão, humildade e bondade no coração 🙂

Amanda

Anúncios

Forma de agir

Nós, seres humanos, temos normalmente uma forma de agir para cada situação que se apresenta, seja particular ou profissionalmente.  É nossa tendência natural de agir de acordo com o andamento das atividades que estivermos exercendo.

E durante nossa vida, vamos adquirindo a experiência necessária para que nossa forma de agir se torne cada vez mais adequada a cada situação que estivermos enfrentando naquele momento.

Tendo em mente que nossa forma de agir em qualquer situação é o que pode determinar, muitas vezes, a solução do problema que estaremos visando naquele momento.

Portanto, o cuidado nesse sentido é tudo o que devemos cultivar para que nossa vida transcorra em ordem e os resultados que esperávamos possam chegar.

E não nos esquecendo de que nossa maneira de conduzir nossa vida, nossos atos, enfim, seja sempre digna e honesta, com princípios respeitados de acordo com a situação que estivermos atravessando.

Não podemos nunca nos esquecermos de que a maneira de conduzir nossa vida será sempre lembrada e, muitas vezes, imitada.

Por isso, o cuidado ao demonstrarmos o que somos e o que pensamos é sempre muito importante.

Pois, sem que saibamos, podemos estar sendo seguidos por alguém que nos admire, portanto devemos nos cuidar para que possamos dar exemplos de boa vontade e honestidade.

Com esse tipo de comportamento poderemos estar, até mesmo sem sabermos, orientando alguém que retiraria de nossas atitudes, exemplos de vida, de honestidade, de maneira de agir.  E, assim, dando ao próximo, condições e palavras que o farão viver melhor, conseguindo da vida resultados que o farão mais feliz e vencedor.

Importante então, manter nossa atenção em nossa forma de agir em qualquer situação, mesmo que não concordemos, para conseguirmos apresentar nossos pontos de vista de maneira educada, sem que passemos a criar situações de constrangimento em quem estaria expondo suas idéias.

Respeitar a posição alheia, expondo a nossa com educação, é uma forma de bem viver, demonstrando o respeito que devemos ter em qualquer situação que estivermos vivenciando.

Abraços e boa semana, tendo sempre muito respeito na nossa forma de agir com o outro 🙂

Amanda

Resiliência

Resiliência é a capacidade de conseguirmos aceitar mudanças.

E quando falamos de aceitação de mudanças, sabemos que não se trata de algo fácil de se concretizar.  Tanto às novas situações físicas, financeiras, afetivas ou profissionais.

Pois, na maioria das vezes, mudanças se dão para se tentar inserir melhoras em qualquer tipo de atividade.

Podemos aprender, e portanto, executar nossa capacidade de aceitar as mudanças que encontramos, seja no mundo em que convivemos diariamente, ou em ocasiões que se apresentam em nossa vida, pessoal e profissional.

Nos adaptarmos a novo ritmo de vida ou de atividade é uma arte que devemos procurar desenvolver para um convívio produtivo e agradável.

Mudar é uma renovação constante, e se formos humildes, aprendemos com as mudanças, analisando os resultados que tenhamos obtido.

Aceitar uma boa mudança não só pode nos ajudar a obter resultados melhores, como nos inspirar a criatividade que chega naturalmente, muitas vezes.

Portanto, a capacidade de aceitarmos as alterações que a vida nos impõe, é um fator que nos ajuda durante as atividades, tanto físicas quanto profissionais, pois aguça nossa criatividade e nos adapta a variações às quais somos sujeitos durante nossa vivência.

E sempre aprendemos com essas transformações, pois acabamos incentivando justamente nossa criatividade, o que pode trazer emoções diferentes para a vida.

Claro que para isso devemos sempre tentar resistirmos à pressão de situações adversas como estresse, algum evento traumático, sem entrarmos em surto psicológico, emocional ou físico, e não é fácil.

Lutamos por encontrar soluções estratégicas para enfrentarmos e superarmos as adversidades que chegam em nossa vida.

E essa é uma luta constante que sempre teremos que enfrentar.

Lutemos então para que nossa força nunca fique estremecida.

Abraços e sempre boas mudanças para atingirmos o progresso em todas as áreas 🙂

Amanda

Boa vontade

Boa vontade.  Duas palavras que juntas tem diversas interpretações.

Mas, na verdade, ser bom só tem um significado que, a meu ver, é fazer o bem, como dizia minha mamy, sem olhar a quem, e tratar sempre com boa vontade aqueles que de nós se aproximam, seja para nos solicitar algo  material ou mesmo um conselho que pode melhorar seu espírito ou sua vida material.

Ser bom não significa simplesmente dar algo a quem necessita no sentido material, mas sim apoiar alguém com o que precisa num momento de necessidade, muitas vezes, até espiritual.  Atender a um bom conselho pode modificar nossa vida.

Quantas vezes uma simples opinião a respeito de uma situação especial pode resultar em algo que conduza melhor a vida de alguém? E isso, em qualquer ponto de vista, material, emocional, espiritual ou social.

Isso é sinal de bondade interior, a pessoa se despir de orgulho e encarar com boa vontade o fato de poder ajudar seu próximo.

Muitas vezes, no entanto, temos que evitar de exprimirmos nosso ponto de vista, pois podemos estar interferindo em decisões que viriam a modificar algo na vida de alguém que não estava pronto para a modificação em pauta.

Por isso, a boa vontade deve estar sempre presente em nosso caráter e devemos cultivá-la para que consigamos ajudar nosso próximo o melhor possível.

Claro que dentro de nossa capacidade e também de acordo com a possibilidade de realização de quem nos solicita.

Pois, se colocamos muita incumbência em quem nunca havia se dedicado a determinado assunto, isso seria encarado até mesmo como uma falta em nosso caráter, uma falha de bondade a ser corrigida.

Portanto, pensemos bem, antes de emitirmos nosso ponto de vista e nossa opinião a respeito de algo que sejamos consultados, e tenhamos sempre boa vontade em nosso caráter.

Abraços carinhosos, cheios de muito boa vontade com todos meus amigos 🙂

Amanda

Bondade

O que chamamos de bondade?

É exatamente o fato de conseguirmos exercer esse sentimento, tanto em relação a nossos parentes próximos, com quem temos o convívio, quanto com pessoas que nos ajudam em nossas atividades diárias.

Claro que só podemos praticar atos bondosos dentro de um conceito que aprendemos e que durante nossa vida vamos usando no sentido de ajudarmos, o que pode nos dar uma grande satisfação íntima que nos permite produzir ainda mais.

Praticar a bondade não significa simplesmente doar materialmente, mas principalmente conseguirmos nos doar espiritualmente no sentido de tentarmos sempre ajudar nossos semelhantes, seja material, mas ainda mais, espiritualmente.

Muitas vezes, uma idéia exposta mediante um problema a ser resolvido, pode iluminar quem dele necessita, e ajudar numa solução.

Claro que, para isso, deveremos ter conhecimento do assunto que nos estaria sendo exposto, e do conhecimento que deveríamos ter a respeito do que se estaria sendo discutido naquele momento.

Opinião é algo extremamente delicado a se expor, para que não sejamos indelicados e ofensivos a quem nos solicitou uma idéia diferente, esperando mesmo que consigamos ajudar numa solução adequada.

Quem nos solicita é porque, exatamente, não tem a certeza de que estaria fazendo algo melhor do que desejaria, portanto, pensemos bem antes de emitirmos algo que possa, ao invés de ajudar, ocasionar uma situação diversa da ideal para determinado assunto.

Agir antes de pensar é sempre um risco que devemos e podemos evitar, pois se isso não ocorrer, estaremos sujeitos a provocar situações, até irremediáveis, e das quais, mesmo que nos arrependamos, não teremos as condições ideais de repararmos.

E devemos também sempre tentar agir com bondade como elemento principal, para que as partes implicadas possam se sentir mais seguras e com elementos positivos que as ajudem a resolver uma situação, muitas vezes, de risco.

Com certeza, nada teremos a perder se assim o fizermos, pois sempre encontraremos quem nos reconheça e de alguma forma seremos retribuídos com atitudes também bondosas de quem nos rodeia.

Abraços e bom domingo, não nos esquecendo sempre de agirmos com bondade em relação a quem precisa de nosso carinho e amizade 🙂

Amanda