Arquivo mensal: janeiro 2018

Ensinamentos

Importante em qualquer relacionamento mantermos a humildade para apreendermos ensinamentos que nos são transmitidos, independente de nossos interlocutores estarem ou não pretendendo nos instruir.

Quantas vezes escutamos numa conversa informal, uma informação da qual retiramos sabedoria que poderá nos acompanhar durante nossa vivência, e nos ajudar a decidir situações delicadas?

Mas para isso, devemos estar abertos a escutar, humildes para absorver informações e opiniões que chegam de pessoas mais ou menos experientes e que podem nos transmitir ideias que nos ajudam a resolver, muitas vezes, problemas que vínhamos atravessando.

Lembrando que nem sempre o que nos falam é emitido com a intenção de nos ensinar, mas se prestarmos atenção, temos a chance de apreender conceitos que podem nos auxiliar.

Ensinamento nem sempre significa uma aula, ou uma palestra sobre determinado assunto, mas uma simples exposição de ideias, até mesmo num bate papo informal. Independe de aulas teóricas ou mesmo práticas, mas da disposição de conseguirmos escutar e retirar exemplos para mudanças que podem nos ajudar a resolver uma série de problemas e nos trazer a solução adequada a uma situação que não estaríamos conseguindo solucionar.

O principal para apreendermos novos ensinamentos é cultivarmos a humildade no sentido de tomarmos consciência de que não somos donos da verdade e que sempre podemos adquirir conhecimentos, até mesmo com quem achamos que sabe menos do que nós, que tenha pouca instrução de colégio, mas que tem a sabedoria nata e o bom senso.

Se formos humildes, estaremos aprendendo sempre, pois os ensinamentos que nos chegarão serão aproveitados para que nossa vida se torne mais fácil e que nossos problemas possam ser resolvidos da melhor maneira possível.

Importante não nos preocuparmos com a vida alheia, e sim, sempre e cada vez mais intensamente, com aquilo que desejamos realizar, pois o reconhecimento chegará, com certeza. Isso tudo se resume num aprendizado que vamos desenvolvendo com o passar dos anos e com a experiência que a vivência nos dá.

Vamos, portanto, tentar aprender cada vez mais, com humildade para aceitarmos novos ensinamentos!

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Destino

Achei interessante uma idéia exposta pelo meu pai Alberto Montalvão, em um de seus livros:

“Um destino, do mesmo modo que um diamante, é questão de buscá-lo no subsolo.  A felicidade se esconde no âmago de uma tarefa heróica.”

Claro que sempre acreditamos, de forma geral, que o nosso destino já estaria traçado ao nascermos e que trazemos para este mundo a fatalidade de acontecimentos, os quais não temos a capacidade de transformar.

Mas será que devemos mesmo abandonar nossa luta para alcançar aquilo que desejamos e precisamos, e deixarmos somente por conta do destino?

Acredito, que como dizia meu pai, teremos que buscar nosso caminho no subsolo da vida. A luta não deverá ser abandonada em função daquilo que desejamos realizar, senão nunca teremos a oportunidade de alcançar nossos objetivos.

E como dizemos sempre, se temos a capacidade de pensar em algo que queremos realizar, provavelmente teremos a capacidade de cumprir aquilo que idealizamos, dependendo, claro, da luta que possamos empreender, e que as circunstâncias nos permitam.

Importante lutar sem desanimar.

Evidentemente, não teremos elementos que nos possibilitem dominar alguns eventos que nos chegam e que fazem mesmo parte de nossa vida, seja cultural, social e de amizade, pois o tempo também tem suas limitações, mas o que pudermos nos organizar e tentarmos atender às nossas solicitações, melhor nos sentiremos.

E, dessa forma, vamos tentando ajudar nosso destino!

Claro que existem diversas correntes que defendem outras definições sobre o destino.

Muitos acreditam que é uma força misteriosa que determina os acontecimentos durante nossa vivência; outros, que não temos o poder de definir nosso destino, e que Deus controla e define todos os acontecimentos pelos quais passamos durante nossa vida.

Mas ai vem o famoso livre arbítrio, que nos permitiria manipular nosso destino com luta e determinação.

Na mitologia grega, por exemplo a palavra “destino” costuma estar associada a determinação das três irmãs divindades chamadas Moiras, que teriam influência nos homens.

Na Mesopotâmia, o destino do homem seria determinado pelas estrelas.

Filósofos estudavam acerca do destino como fatalismo.

Se fala também sobre a ironia do destino, quando uma pessoa faz algo errado para alguém ou para si próprio e depois acontece algo muito bom para ele ou para a pessoa em questão.

Para mim, o destino é uma força misteriosa que pode determinar os acontecimentos em nossas vidas, mas também ser dominado pela nossas atitudes e força.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Ver e não enxergar

Parece uma idéia absurda, à primeira vista, que alguém conseguiria ver sem enxergar, mas se pensarmos bem, notaremos que isso existe, e muito. Por isso, temos que prestar atenção para observar se estamos percebendo exatamente o que se pretendeu.

Muitas coisas estão por trás do que estamos vendo, tanto no sentido profissional, quanto no afetivo, e se não prestarmos atenção, estaremos sujeitos a não conseguirmos ver o mais importante e que poderia até mesmo fazer a diferença em muitos aspectos de nossa vida.

Por isso, devemos estar sempre atentos se não estamos incorrendo em algum erro, tanto de atitudes, como de julgamento de nosso próximo ou em alguma situação que pode mesmo transformar nossa vida, nos trazendo consequências indesejadas.

Muitas vezes estamos vivenciando situações que ocorrem diante de nossos olhos, e passam desapercebidas, ocasionando implicações desagradáveis e até mesmo prejudiciais para nossa vida.

O que estamos vendo naquele momento, pode não significar a real situação, seja no aspecto público ou particular, por isso o cuidado para não cometermos enganos ou injustiças, principalmente hoje em dia com as redes sociais.

O que vemos pode ser uma ilusão, ou resultado de alguma situação inicial que desconhecemos, portanto nosso julgamento poderia estar se referindo pura e simplesmente a uma situação momentânea, que não ilustra de forma nenhuma a realidade.

Tenho muita cautela ao me referir a alguma ocorrência, sem ter, por exemplo, o conhecimento absoluto dos fatos, os problemas referidos naquela circunstância, para evitar sujeitos erros que podem comprometer toda uma situação e uma amizade.

Como sempre digo, antes de falarmos algo em publico ou tomarmos qualquer atitude, pensemos bem nas consequências que podem advir, e se temos condições de suportar os problemas que determinadas situações nos imporiam, seja em relação a algum ponto profissional ou afetivo. Uma posição errada ou impensada, pode mudar todo o rumo de nossa vida.

Assim, antes de julgarmos, tomemos cuidado na interpretação do que vemos, e busquemos conhecimento se o que estamos vendo realmente corresponde ao que aparenta, ou se estaria se referindo a causas que desconhecemos.

Bom domingo, tentando sempre atentar se o que está diante de nós corresponde à realidade dos fatos para sermos justos com nosso próximo 🙂

Abraços,

Amanda

Preocupação

Preocupação é um sentimento que, muitas vezes, não podemos deixar de sentir, dependendo do que estivermos vivendo no momento, e a gravidade ou não da situação naquela ocasião.

E certos momentos nos exigem mais, e, nesses casos, necessitamos de mais tempo e estudo para tentarmos chegar onde planejamos.

Se pensamos mais detalhadamente em tudo o que queremos realizar, teremos mais possibilidade de acertarmos nos resultados inicialmente desejados.

Nos preocuparmos sem termos objetivos definidos no que queremos fazer em todos os sentidos é algo que nada vai adiantar, pois sem objetividade não conseguiremos chegar onde gostaríamos, ou realizar o que planejamos anteriormente.

Que devemos pensar sempre nos resultados que poderíamos obter se fizéssemos algo de maneira diferente daquela que fizemos anteriormente, isso obviamente é o ideal, afim de não repetirmos erros cometidos por falta de planejamento inicial.

Preocuparmos a nós mesmos e aos circunstantes e nada fazer para mudarmos o que deveria ter sido mudado, de nada vai adiantar, pois voltar no tempo depois de termos tomado alguma atitude errada ou não adequada à situação existente, fica realmente impossível.

Pensar antes de agir foi uma preocupação enorme que nossa mãe tentava exigir de nós, os filhos, e que tentei, e estou certa de ter conseguido, passar à minha filha, pois nos arrependermos depois de algo não tão adequado que tenhamos feito, de nada adiantará, e ai teremos que estar preparados para suportarmos as consequências que chegarão, com certeza.

Então essas são preocupações que poderão fazer com que nossa vida se passe sem que tenhamos que suportar grandes e desagradáveis consequências que nem teríamos imaginado.

Nem citamos aqui o óbvio que será sempre a preocupação saudável que temos em relação à nossa vida, aos nossos seres queridos, familiares e amigos, desejando sempre fazer-lhes o bem, e dedicando a todos eles nosso amor e carinho.

Claro que um certo grau de preocupação nos ajuda a evitar ou resolver algumas situações, mas procuremos não exagerar para conseguirmos relaxar e aproveitar a companhia de nossos amigos e familiares, entes queridos que fazem parte de nossa vida.

Abraços e bom domingo, com preocupação sempre adequada que assegure nosso bem estar!

Mais uma vez, desejo a todos amigos tão queridos, um 2018 de muitas alegrias – e poucas preocupações 🙂

Amanda