Destino

Achei interessante uma idéia exposta pelo meu pai Alberto Montalvão, em um de seus livros:

“Um destino, do mesmo modo que um diamante, é questão de buscá-lo no subsolo.  A felicidade se esconde no âmago de uma tarefa heróica.”

Claro que sempre acreditamos, de forma geral, que o nosso destino já estaria traçado ao nascermos e que trazemos para este mundo a fatalidade de acontecimentos, os quais não temos a capacidade de transformar.

Mas será que devemos mesmo abandonar nossa luta para alcançar aquilo que desejamos e precisamos, e deixarmos somente por conta do destino?

Acredito, que como dizia meu pai, teremos que buscar nosso caminho no subsolo da vida. A luta não deverá ser abandonada em função daquilo que desejamos realizar, senão nunca teremos a oportunidade de alcançar nossos objetivos.

E como dizemos sempre, se temos a capacidade de pensar em algo que queremos realizar, provavelmente teremos a capacidade de cumprir aquilo que idealizamos, dependendo, claro, da luta que possamos empreender, e que as circunstâncias nos permitam.

Importante lutar sem desanimar.

Evidentemente, não teremos elementos que nos possibilitem dominar alguns eventos que nos chegam e que fazem mesmo parte de nossa vida, seja cultural, social e de amizade, pois o tempo também tem suas limitações, mas o que pudermos nos organizar e tentarmos atender às nossas solicitações, melhor nos sentiremos.

E, dessa forma, vamos tentando ajudar nosso destino!

Claro que existem diversas correntes que defendem outras definições sobre o destino.

Muitos acreditam que é uma força misteriosa que determina os acontecimentos durante nossa vivência; outros, que não temos o poder de definir nosso destino, e que Deus controla e define todos os acontecimentos pelos quais passamos durante nossa vida.

Mas ai vem o famoso livre arbítrio, que nos permitiria manipular nosso destino com luta e determinação.

Na mitologia grega, por exemplo a palavra “destino” costuma estar associada a determinação das três irmãs divindades chamadas Moiras, que teriam influência nos homens.

Na Mesopotâmia, o destino do homem seria determinado pelas estrelas.

Filósofos estudavam acerca do destino como fatalismo.

Se fala também sobre a ironia do destino, quando uma pessoa faz algo errado para alguém ou para si próprio e depois acontece algo muito bom para ele ou para a pessoa em questão.

Para mim, o destino é uma força misteriosa que pode determinar os acontecimentos em nossas vidas, mas também ser dominado pela nossas atitudes e força.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em janeiro 21, 2018, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Para mim, o destino é a interligação de vårios fatores: o lugar onde nascemos, a famīlia de onde viemos, as nossas escolhas, os caminhos que resolvemos trilhar e, claro, a maior ou menor presença dessa personagem tâo impte nas nossas vidas, a sorte. Bj gde pra vc. Lidia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s