Estima

Estimarmos alguém significa dedicarmos uma linha de amizade, que significa também respeito pelo carinho que damos e recebemos.

A estima dignifica, justamente por desenvolver o respeito, além da admiração e amizade.

Isso faz com que consigamos obter um carinho imediato de uma amizade que está se formando, e pode se transformar numa amizade forte, que dure toda uma vida.

Tudo depende de como tratamos uma aproximação que podemos ter com alguém, e com dedicação e sinceridade.

A estima é um sentimento de respeito em toda aproximação que temos ao conhecermos alguém.

Pois a aproximação é, como se diz, uma arma de dois gumes, ou ela aproxima mais ou afasta a pessoa que ficamos conhecendo melhor e que podemos chegar à conclusão de que não teríamos muitos pontos em comum.

A amizade que desenvolvemos tendo muita concordância, ela cresce com a convivência, se tivermos a humildade de tentar aprender com quem convivemos.

A estima proporciona a possibilidade de aproximação que pode fazer com que uma amizade cresça durante toda uma vida.

E, sendo humildes, podemos mesmo progredir juntos, tanto pessoal, quanto profissionalmente.

Humildade é o segredo para que a estima que iniciamos ao conhecermos alguém possa crescer, baseado nesse grande sentimento de respeito para que se desenvolva uma amizade forte e durável!

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda 

Tendências

Todos nós temos inclinação para desenvolvermos determinados assuntos, tanto do ponto de vista pessoal, quanto profissional.

Nossas tendências são normalmente inatas, e nós as desenvolvemos de acordo até mesmo com nossas facilidades para atividades que vamos descobrindo com o passar do tempo.

Claro, muitas vezes, somos encaminhados a certas atividades, ou pelo estudo que fazemos desde cedo, ou pela tendência que descobrimos em nossa personalidade.

Normalmente, ao obedecermos às nossas tendências, costumamos acertar, justamente por termos a facilidade de desenvolvermos aquilo que escolhemos.

Isso não acontece sempre, mas seria a primeira atitude a tomar e a tentativa costuma valer a pena, temos que tentar!

Devemos estudar em detalhes aquilo que nos vem a ideia, pensar bem se nossa criatividade a respeito do assunto pode ser desenvolvida adequadamente, para evitarmos erros inúteis.

Aprendi que pensar bem não nos custa nada.

E quando descobrimos as tendências, devemos valorizá-las, pois significa que temos a predisposição para desenvolvermos aquilo que iniciamos e que estaríamos dispostos a utilizar.

Notamos a tendência para assuntos diversos até mesmo em nossos filhos, que desde cedo já costumam mostrar facilidades, é só observarmos e, se possível, obedecermos e tentarmos desenvolver neles as tendências demonstradas.

Para isso, ou nós nos propomos a ensinar, ou contratamos profissionais que desenvolvem a facilidade demonstrada para o assunto em questão.

E se conseguimos observar resultados advindos de nosso ensino ou informação, ficamos felizes e prontos a até mesmo aprender, se não tivermos o sentimento negativo que é a vaidade de acharmos que sabemos sempre mais.

Nossas tendências podem nos ajudar, e muito, a criar, e, com isso, auxiliar àqueles que nos rodeiam e que em nós aprenderam a confiar.

Quando exercemos um trabalho devemos manter sempre o contato, estudando as tendências e adaptando-as ao nosso interesse.

Obedecer as nossas tendências é uma arte. Vamos desenvolvê-la.

Abraços e um ótimo domingo de Páscoa 🙂

Amanda

Invasivo

Quando falamos em invasão, não devemos pensar somente no sentido físico da palavra.  Muitas vezes, presenciamos uma invasão sob muitos outros aspectos.

Para não sermos invasivos, devemos nos cuidar, pois é uma tendência que nós, seres humanos, temos de tentarmos entrar na convivência com nossos familiares, amigos e com quem convivemos até mesmo socialmente.

O nosso controle depende unicamente de nós mesmos, de nosso raciocínio, em todas as áreas em que costumamos atuar.

Seja sob o aspecto familiar ou mesmo profissional, importante cultivarmos esse cuidado e prestarmos atenção para não cometermos uma invasão.

Mesmo porque, muitas vezes, essa invasão se faz pelo interesse que temos em podermos ajudar nosso próximo a resolver algum assunto pendente, e até mesmo sobre o qual tenhamos sido solicitados.

Mas, se não nos cuidarmos, podemos cometer o erro bem desagradável de invadirmos além do que fomos consultados, e emitirmos uma opinião que pode até mesmo ser ofensiva a quem a recebe.

Para evitarmos esse tipo de descuido, pensemos bem antes de emitirmos uma opinião, e consultarmos nossa consciência, relembrando um determinado diálogo para tentarmos analisar friamente se realmente nossa opinião estaria sendo benvinda.

Se nos tornarmos invasivos, corremos o risco de perdermos ou arriscarmos uma amizade, pois, muitas vezes não fomos analisados como se tivéssemos tido a boa vontade de ajudar, e sim de nos intrometermos.

Risco que temos que tentar não correr, pois muitas vezes na intenção de auxiliar com uma solução, podemos estar interferindo em assunto que não nos diz respeito, portanto temos que primeiro pesquisar do interesse da outra parte.

Vamos, então, nos interessarmos no problema de uma pessoa amiga, mas só devemos emitir uma opinião se formos solicitados, ou se nos for permitido fazê-lo.

Abraços e bom domingo, o menos invasivo possível 🙂

Amanda

Austeridade

Quando falamos em austeridade, podemos ter uma interpretação diferente, imaginando que se tenha atitude muito austera, sem nenhuma condição de se conseguir o controle necessário.

E isso não é bem o que acontece na nossa vida diária, pois sempre aprendemos que todas as nossas atitudes devem ser conduzidas de maneira madura e não tão intensas.

Para isso, temos sempre que pensar bem para que evitemos de cometer injustiças.

Claro que sempre que sofremos alguma austeridade injusta, temos que raciocinar e pensar bem antes de tomarmos alguma atitude errada e prejudicarmos alguém que não estivesse merecendo.

Mas devemos ser, de certa forma, austeros em nossa vida, tanto social, quanto profissional, pois sem a firmeza necessária, nos sujeitamos a cometer ou sermos vítimas de injustiças.

E isso, não faz parte de nossa educação, mas de nossa sensação, até mesmo de caridade humana.

Não nos esqueçamos também que austeridade deve ser sempre usada em qualquer âmbito de resoluções que nos esteja sendo exigidas, mas com o raciocínio em relação às consequências que pode nos trazer.

Portanto, devemos ser austeros sem o exagero, pois podemos usar a austeridade como um controle, inclusive, por exemplo, de gastos públicos, em medidas de austeridade, de rigidez em comportamento, tanto físico quanto financeiro.

Porem, importante, como sempre dizemos, é justamente termos o cuidado com o exagero, em tudo.

Controle é ótimo e necessário, dentro de uma disciplina geral.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Sufocar

Quando falamos em sufocar, pensamos na sensação de nos sentirmos sufocados fisicamente, com dificuldade de respirarmos.

Mas o que vamos tratar hoje é do sufoco não só físico, mas também emocional e até mesmo profissional.

Há uma grande diferença entre demonstrar afeição e sufocar alguém, pois sufocar pode ser algo como você controlar a outra pessoa, até mesmo a pessoa a quem se ama.

Temos que nos conscientizar de que não é porque fomos escolhidos por alguém que a pessoa se torne nossa propriedade, pois o amor não pode sufocar, ele liberta.

Manter um relacionamento é como se ter um pássaro, se a gente segurar forte ele se sente sufocado, e nesse caso pode despertar sentimentos que não sejam tão agradáveis.

Claro que quando se está num bom relacionamento e gostamos muito da pessoa, é comum que queiramos ficar com ela a maior parte do tempo, mas precisamos justamente nos cuidarmos para não tornarmos o relacionamento desagradável.

Temos mesmo que nos cuidarmos para não deixarmos que a insegurança e o medo de perdermos o parceiro possam incitar erros tolos e destruir a relação.

Devemos nos controlar e termos a medida agradável para que não prejudiquemos a convivência diária.

Importante, portanto, prestarmos atenção sempre no nosso relacionamento e observarmos se a pessoa que amamos não está se sentindo sufocada, para que a relação se torne cada vez maior e melhor. Esse é o grande segredo para um relacionamento agradável.

Assim, o melhor que devemos fazer é nos cuidarmos para que a relação seja cada vez mais harmoniosa e amorosa

Abraços e um ótimo domingo 🙂

Amanda