Poder

Poder é uma arma de dois gumes, como se diz, pois ele precisa ser muito bem usado em todos os níveis e sob todos os aspectos.  Mal direcionado pode causar consequências de complicada solução.

E saber usar o poder em várias condições é uma arte, pois a vaidade pode falar mais alto e complicar a vida das pessoas envolvidas.

Encontramos vários significados da palavra poder.  Ela pode ser considerada no sentido de ser capaz de realizar algo, ou de ter a capacidade de mandar, de dirigir algum trabalho, ou de comandar uma entidade, um governo, etc.

De outro lado, poder pode se definir também como a capacidade de se conseguir realizar, tanto do ponto de vista emocional, quanto fisicamente, o que começa com nosso julgamento, e principalmente modéstia.

Dizem que para conhecer realmente alguém basta lhe dar poder.  Assim, importante tomarmos sempre muito cuidado quando estamos em condição de poder, principalmente do ponto de vista material, pois se corre o risco da vaidade falar mais alto, e com isso perdermos a humildade de um julgamento ideal.

Isso pode ocorrer em diversos ramos de nossa atividade, seja pessoal ou profissional.

É uma oportunidade  que a vida nos oferece, que devemos desenvolver e nos darmos conta logo que isso venha a acontecer, para que não deixemos passar as ocasiões em que teríamos a oportunidade de realizar algo importante para nossa vida.

A maior sabedoria é conseguirmos reconhecer essa chance que nos chega, muitas vezes de surpresa, por isso a atenção é o mais importante no sentido de treinarmos o reconhecimento de quando nos vemos numa situação de poder.

E termos sempre em mente que o poder, quando se trata de termos a possibilidade de comandar, deve ser usado com muito critério, para que não prejudiquemos quem esteja ao nosso lado, seja um amigo, ou alguém que esteja sob nosso comando profissional.

E o que devemos também nos cuidarmos muito nesse caso, é da nossa vaidade, para que, ao estarmos no comando, ela não tome conta de nossas atitudes indevidas.

O fato de termos o poder da chefia não nos dá o direito de sermos autoritários injustamente, por isso devemos nos cuidar sempre com nossas atitudes na comunicação aos nossos subordinados.

Até para comandarmos, precisamos ter muita humildade, para que sejamos seguidos  naquilo que propomos aos nossos subordinados na área profissional. Não abusarmos do poder de que somos investidos, seja profissional ou particular, é um sinal de maturidade, de bondade, e isso sim, de superioridade.

E, podem crer, teremos mais chances de sermos respeitados, se não impusermos esse tipo de atitude, o que pode despertar uma série de sentimentos negativos, e um deles, o pior, a revolta.

Abraços, caprichando sempre em atitudes amistosas, que serão mais aceitas  com certeza!

Bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Crença

Crença é uma palavra que define uma certeza sobre o que acreditamos ou passamos a acreditar, é a ação de crer na verdade ou na possibilidade de algo.

E é também a fé que temos, seja na religião, numa pessoa, num acontecimento, e o que essa fé pode nos trazer de confiança e bem estar em muitas ocasiões, e em muitos ângulos de algum episódio que estejamos vivenciando naquele momento.

Tudo depende mesmo do que estaremos tratando, pois a confiança não se impõe, e sim é algo pessoal e íntimo de cada um de nós.

Crer é um exercício de certeza que passamos a ter em alguém ou em empresas que conquistam essa confiança com o passar do tempo e desde que seus negócios tragam o índice de honestidade necessário para que sempre se cumpra o prometido anteriormente.

A crença é a própria ação de crer na verdade ou na possibilidade de uma determinada coisa ou acontecimento, em algo enfim, que nos seja apresentado.

É a convicção de que é verdadeiro e certo, mas não deixa de ser uma avaliação pessoal, baseada em fatos vivenciados ou ouvidos de alguém que os tenha vivido.

Como a crença reflete tudo aquilo em que se acredita como sendo a verdade para algumas pessoas, precisamos eliminar as influências negativas e estimular as positivas, para que possamos pelo menos tentar resultados que nos façam felizes e realizados.

Já a crença religiosa tem outra interpretação, baseada em uma verdade maior, indiscutível, e portanto, diferente da racional, não sujeita à razão.

Ou a possuímos ou não.  Os princípios religiosos geralmente são firmes e estáveis.

Mas existem vários tipos de crenças, e elas refletem normalmente nossas ações, emoções e nossos pensamentos, por isso, devemos tentar eliminar suas influências negativas e incentivar as positivas, pois são representadas pelas idéias que vimos, ouvimos e que acabaram se tornando a verdade para nós.

Muito cuidado temos que ter para não estimularmos as crenças limitantes, que normalmente são os pensamentos, as interpretações que tomamos como verdadeiras e que no fundo podem ser falsas.

Claro que muitas vezes, elas podem nos proteger nos momentos de incerteza, nos guiar e mesmo contribuir para nossa estabilidade e coerência interna.

Só que temos que nos cuidar para conhecermos o controle de determinada crença, delimitá-la ou até mesmo eliminá-la nos casos em que pensamos que seja uma influência negativa, ou transforma-las em positivas para fazer nossa vida sempre melhor.

O mais importante é aprendermos  a detectar as crenças que podem se refletir no nosso comportamento e portanto, muitas vezes, influir em nossa vivência diária e em comunidade.

Abraços e bom domingo, incentivando em nós mesmos sempre, crenças positivas, e que possam servir para ajudarmos nosso próximo 🙂

Amanda

Crescimento

Quando falamos em crescimento, muitas vezes nos referimos ao aspecto financeiro, ou aumento de produtividade em algum setor de profissão ou de fabricação.

Mas aqui me refiro hoje mais no crescimento emocional, quando passamos a encarar nossa vida sob aspectos diversos, tanto do ponto de vista pessoal, quanto profissional, para conseguirmos uma sobrevivência digna e proveitosa sob todos os aspectos.

Claro, atualmente o crescimento chega mais cedo para todos, independentemente do aspecto social, de herança familiar ou de independência profissional já adquirida pelo próprio trabalho ao qual nos dedicamos.

Mas, de toda forma, crescer é sempre se deparar com uma série de responsabilidades que não tínhamos, e exige de nós raciocínio e cuidados sobre os quais não nos preocupávamos antes.

Se crescemos social ou financeiramente, isso acarreta uma série de responsabilidades até mesmo no sentido de conseguirmos manter tudo o que foi conquistado anteriormente e que fica difícil recompor, uma vez perdido.

Na própria família, vamos, com o passar do tempo, adquirindo uma série de encargos que antes nem tomávamos conhecimento, e que eram sempre responsabilidade de nossos pais.

Só usufruíamos dos resultados, nossos estudos já eram pagos pelos pais e esperávamos nosso trabalho que viria depois, sem a ansiedade que agora chega mesmo a nos preocupar.

A responsabilidade e o peso de tudo o que a vida adulta nos traz é uma consequência do nosso amadurecimento, tanto físico quanto emocional, pois já crescemos sabendo do que necessitamos e o quanto tudo isso nos custa, emocional e financeiramente.

E, para arcarmos com tudo isso, vamos chegando à conclusão de que nossa luta deverá ser muito grande, e a atenção para mantermos o que conseguirmos ganhar deverá ser dobrada.

Por isso, crescer nos traz uma dupla responsabilidade, nos coloca de frente com o cuidado que temos que ter, afim de conseguirmos sustentar nosso padrão conseguido, muitas vezes, a duras penas.

E também nos desenvolvermos emocionalmente é algo que nos custa, pois temos muitos fatores que podem interferir nesse crescimento, como nossa parte emocional, social, os deveres que nos impusemos e que temos que cumprir.

Crescimento é sinônimo de desenvolvimento, de progresso, uma evolução, enfim, o que nos coloca numa situação de luta sempre que tentamos empreender algo.

Assim, como no trabalho, temos que ver as possibilidades do crescimento humano na organização, as práticas, os limites e as perspectivas em uma empresa da qual passamos mesmo a depender, tanto emocional, quanto financeiramente.

Por isso, tomemos todo o cuidado para sabermos reconhecer quando estamos prontos para crescer e não deixarmos perder as oportunidades para atingirmos as metas e o desenvolvimento humano que nos são oferecidas.

O grande desafio é saber reconhecê-las.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Imposição

Quando sugerimos algo a alguém, claro que nossa tendência seria sempre de conseguirmos impor nossa idéia inicial, pois costumamos achar que tivemos uma forma de encontrar as soluções ideais para nossa busca, seja em que aspecto for.

Mas não é sempre assim, e temos que procurar aceitar quando o que desejamos não tenha sido aceito da forma e entusiasmo que tenhamos desejado ao elaborarmos algo diferente.

E impor idéias é sempre desagradável para quem está dependendo de nós para solução de algum problema ou nossa sugestão para realização de algo que estariam esperando.

O que é imposto não é tão bem aceito, quanto algo sugerido, onde demonstramos as vantagens de determinadas mudanças que podem ocorrer, e, muitas vezes, um pequeno detalhe consegue transformar toda uma forma de realizarmos algo.

A maneira de impor é muito importante, pois temos que considerar que cada um dos significados de imposição seria uma obrigação, mas não estamos aqui tratando dessa idéia, e sim de conseguirmos nos impor sobre algo que pode melhorar ou modificar determinada maneira de viver de forma que tudo possa se tornar melhor.

Não deixa de ser uma exigência tudo o que sugerimos como mudanças, maneira de agir e de fazer algo, mas tudo pode ser proposto de forma educada, e sempre devemos explicar o motivo pelo qual estamos sugerindo alguma modificação, seja em casa ou na empresa.

Mesmo que não tenhamos o propósito de impormos nossas idéias, a tendência é tentarmos conviver de acordo com costumes, padrão e compreensão que fazem parte do ambiente em que vivemos no dia a dia, seja em nossa vida pessoal ou profissional.

Claro que nossa tendência é sempre de nos adaptarmos aos costumes da época em que estamos vivendo, o ambiente que frequentamos, pois não é agradável o choque que maneiras e idéias muito diferentes nos trazem.

Isso sob qualquer ângulo que observemos, seja como agimos, nos vestimos, e outros aspectos do dia a dia que podem se chocar e tornar um tanto  difícil a convivência com as outras pessoas.

Sob o aspecto de imposição, temos também o ângulo de muitas vezes tentarmos nos impor por acharmos que estamos certos em alguma ideia sobre a qual nos divergimos, tanto em discussão sem muita importância, como ao tentarmos expor algo que desejamos uma mudança, radical ou não.

Claro que, em se tratando de nossos filhos ou alguém que dependa de nós, teremos que colocar nosso ponto de vista, até mesmo com certa energia afim de que consigamos que nossa experiência de vida chegue até eles, e ao expormos nossas idéias, elas sejam respeitadas para que tudo possa transcorrer da melhor maneira possível.

Dessa forma, provavelmente conseguiremos resultados sem que precisemos nos impor, mas sim demonstrando, pela experiência que já tenhamos adquirido, que nosso ponto de vista poderá ajudar na resolução de alguns problemas pelos quais já tenhamos passado em nossa vida.

Abraços e bom domingo, passando, sempre que possível e dependendo da aceitação de nosso solicitante, um pouco de nossa vivência.  Mas sem imposição 🙂

Amanda

Aborrecimento

O que seria, na verdade, um aborrecimento?

Muitas pessoas tem a tendência de se aborrecerem frequentemente, mesmo quando não estão de frente com algo que na verdade deveria aborrecê-las.

Isto é, quando o que está acontecendo naquela ocasião não seja motivo suficiente para isso, ou seja tão pequeno que poderia ser ultrapassado até mesmo com um sorriso ou ignorando a ocasião.

Na minha opinião, o real motivo de aborrecimento deveria ser somente uma tristeza profunda como a doença, ou a falta de alguém tão querido, sem o qual a vida seria mais triste e mais difícil.

E não uma ocasião em que tudo poderia ser reduzido, umas vezes de aspecto financeiro, outras sentimentais, mas que talvez um simples diálogo ajudaria a ultrapassarmos essa ocasião.

A tomada de atitude deve ser sempre muito pensada, para que não tomemos posições precipitadas, e chegarmos a conclusões que não seriam tão apropriadas e que nos impediriam de seguirmos aquilo que nos levaria a uma decisão correta.

Pensar antes de agir é o que sempre devemos fazer para evitarmos que atitudes precipitadas nos levem a resultados que não estaríamos esperando.

Para isso, um dos grandes segredos é conseguirmos planejar tudo o que queremos com um prazo apropriado, pois tudo o que é feito em cima da hora, está sujeito a sair de maneira que não seria aquela ideal e com a qual sonhamos atingir.

Isso em que aspecto for de nossa vida, seja pessoal, profissional, amorosa, ou em qualquer tipo de relacionamento no qual estejamos atuando em determinado momento de nossa vida, afim de evitarmos uma falha que muitas vezes não dá para ser corrigida.

Por isso, importante pensar antes de agir, tomar atitudes que tenham sido muito bem estudadas antes, para que consigamos evitar falhas que podem trazer consequências desastrosas e para as quais a solução pode chegar mal, ou atrasada.

Eliminar situações que podem nos aborrecer, seja no plano material, ou sentimental, é algo que pode nos levar a uma tranquilidade desejada e que nos facilitará a vida junto aos que nos rodeiam.

O que, na verdade, devemos tentar fazer é evitarmos entrar num estado de desgosto, claro, se estiver na nossa capacidade, e se depender de nós, pois cada vez que assim agirmos, será uma ocasião  na qual o desgosto não nos chegaria.

Quanto mais nos  agoniamos, maior será nossa sensação de aborrecimento que vamos experimentar, e mais difícil será conseguirmos sair sem que tenhamos nos magoado de alguma forma.

Claro que teremos sempre em nossa vida, situações difíceis de serem solucionadas, mas se paramos para pensar, normalmente uma solução adequada poderá chegar em nossa mente e em nosso coração.

Evidentemente, se temos algo a resolver não poderemos ignorar, pois dependerá de nós, e muitas vezes de uma decisão difícil, que na verdade poderá até mesmo mudar o rumo de nossas vidas, por isso, pensar bem é o grande segredo para evitar que uma atitude mal tomada resulte em problemas, muitas vezes, sem solução.

O que devemos sempre é usarmos a mente e nossa força de raciocínio afim de impedirmos que uma atitude errada nos leve a situações de desgosto.

Até o próximo blog, curtindo as alegrias que a vida tenha nos proporcionado 🙂

Abraços e um ótimo domingo,

Amanda