Arquivo mensal: fevereiro 2019

Proteção

Proteger é conseguir resguardar algo ou alguém que necessita ser protegido de algo ou de alguém, seja animal ou humano que corra algum perigo iminente.

Muitas vezes, não temos as condições de ajudar, tanto do ponto de vista material ou mesmo espiritual, que pode ser através de um carinho físico, um aperto de mão, ou um conselho que possa auxiliar numa tomada de decisão.

Tentamos proteger sempre, mesmo sem planejarmos, nossos filhos, nossos pais, e as pessoas com quem convivemos, seja dentro de nosso lar ou ao nosso redor.

Mas, temos que nos cuidar muito para que não fiquemos protegendo pessoas que tendem a se queixar sem muita razão de fazê-lo, até mesmo sem maldade, mas às vezes por hábito.

Devemos ter cuidado no sentido de proteção que dispensamos aos amigos, e principalmente para nossos filhos, por exemplo, que tendem a nos solicitar pelo costume de fazê-lo.

Proteger é um sentimento que todos temos, instintivamente, como uma característica do ser humano, de maneira geral, para quem dispõe de bons sentimentos de caridade para com os circunstantes, sejam humanos ou animais.

Faz parte da nossa natureza e nos sentimos bem por usarmos dessa capacidade, seja do ponto de vista financeiro ou físico, criando assim um sentimento de realização ao conseguirmos ajudar quem de nós necessita.

E a proteção não se refere somente a pessoas de nossa intimidade, mas até mesmo desconhecidos, e que vemos estar precisando de alguma atitude nossa que signifique proteção de alguma forma.

Para isso, devemos ter humildade também de aceitarmos a proteção que nos chega, seja ela física, financeira ou emocional.

E sabermos distinguir quando fazemos a caridade, às vezes um simples conselho ou opinião que pode mudar uma vida, se houver também um pouco de humildade de quem nos solicita.

Mesmo para nossos filhos e dependentes de maneira geral, temos que ter o cuidado para que não façamos exageros que possam acostumá-los erradamente e com isso deixar de prepará-los para a vida normal que todos vivemos no cotidiano.

Claro que dispomos de diversos tipos de proteção e todos eles muito importantes na nossa vida diária, tanto social como profissional e financeira.

A proteção social comporta informações sobre ações, cuidados, atenções e estudos de redução e prevenção de riscos, corporais ou financeiros.

Nossos dados pessoais, por exemplo, deverão ser objeto de atenção especial e proteção para que possamos evitar a exposição desnecessária dos mesmos.

E para quem acredita, importante fazer orações pedindo a proteção de nosso espírito, para que possamos agir de maneira sempre correta e digna.

Abraços e bom domingo, dando e recebendo a proteção, tanto física quanto espiritual 🙂

Amanda

Anúncios

Poder

Poder é uma arma de dois gumes, como se diz, pois ele precisa ser muito bem usado em todos os níveis e sob todos os aspectos.  Mal direcionado pode causar consequências de complicada solução.

E saber usar o poder em várias condições é uma arte, pois a vaidade pode falar mais alto e complicar a vida das pessoas envolvidas.

Encontramos vários significados da palavra poder.  Ela pode ser considerada no sentido de ser capaz de realizar algo, ou de ter a capacidade de mandar, de dirigir algum trabalho, ou de comandar uma entidade, um governo, etc.

De outro lado, poder pode se definir também como a capacidade de se conseguir realizar, tanto do ponto de vista emocional, quanto fisicamente, o que começa com nosso julgamento, e principalmente modéstia.

Dizem que para conhecer realmente alguém basta lhe dar poder.  Assim, importante tomarmos sempre muito cuidado quando estamos em condição de poder, principalmente do ponto de vista material, pois se corre o risco da vaidade falar mais alto, e com isso perdermos a humildade de um julgamento ideal.

Isso pode ocorrer em diversos ramos de nossa atividade, seja pessoal ou profissional.

É uma oportunidade  que a vida nos oferece, que devemos desenvolver e nos darmos conta logo que isso venha a acontecer, para que não deixemos passar as ocasiões em que teríamos a oportunidade de realizar algo importante para nossa vida.

A maior sabedoria é conseguirmos reconhecer essa chance que nos chega, muitas vezes de surpresa, por isso a atenção é o mais importante no sentido de treinarmos o reconhecimento de quando nos vemos numa situação de poder.

E termos sempre em mente que o poder, quando se trata de termos a possibilidade de comandar, deve ser usado com muito critério, para que não prejudiquemos quem esteja ao nosso lado, seja um amigo, ou alguém que esteja sob nosso comando profissional.

E o que devemos também nos cuidarmos muito nesse caso, é da nossa vaidade, para que, ao estarmos no comando, ela não tome conta de nossas atitudes indevidas.

O fato de termos o poder da chefia não nos dá o direito de sermos autoritários injustamente, por isso devemos nos cuidar sempre com nossas atitudes na comunicação aos nossos subordinados.

Até para comandarmos, precisamos ter muita humildade, para que sejamos seguidos  naquilo que propomos aos nossos subordinados na área profissional. Não abusarmos do poder de que somos investidos, seja profissional ou particular, é um sinal de maturidade, de bondade, e isso sim, de superioridade.

E, podem crer, teremos mais chances de sermos respeitados, se não impusermos esse tipo de atitude, o que pode despertar uma série de sentimentos negativos, e um deles, o pior, a revolta.

Abraços, caprichando sempre em atitudes amistosas, que serão mais aceitas  com certeza!

Bom domingo 🙂

Amanda

Crença

Crença é uma palavra que define uma certeza sobre o que acreditamos ou passamos a acreditar, é a ação de crer na verdade ou na possibilidade de algo.

E é também a fé que temos, seja na religião, numa pessoa, num acontecimento, e o que essa fé pode nos trazer de confiança e bem estar em muitas ocasiões, e em muitos ângulos de algum episódio que estejamos vivenciando naquele momento.

Tudo depende mesmo do que estaremos tratando, pois a confiança não se impõe, e sim é algo pessoal e íntimo de cada um de nós.

Crer é um exercício de certeza que passamos a ter em alguém ou em empresas que conquistam essa confiança com o passar do tempo e desde que seus negócios tragam o índice de honestidade necessário para que sempre se cumpra o prometido anteriormente.

A crença é a própria ação de crer na verdade ou na possibilidade de uma determinada coisa ou acontecimento, em algo enfim, que nos seja apresentado.

É a convicção de que é verdadeiro e certo, mas não deixa de ser uma avaliação pessoal, baseada em fatos vivenciados ou ouvidos de alguém que os tenha vivido.

Como a crença reflete tudo aquilo em que se acredita como sendo a verdade para algumas pessoas, precisamos eliminar as influências negativas e estimular as positivas, para que possamos pelo menos tentar resultados que nos façam felizes e realizados.

Já a crença religiosa tem outra interpretação, baseada em uma verdade maior, indiscutível, e portanto, diferente da racional, não sujeita à razão.

Ou a possuímos ou não.  Os princípios religiosos geralmente são firmes e estáveis.

Mas existem vários tipos de crenças, e elas refletem normalmente nossas ações, emoções e nossos pensamentos, por isso, devemos tentar eliminar suas influências negativas e incentivar as positivas, pois são representadas pelas idéias que vimos, ouvimos e que acabaram se tornando a verdade para nós.

Muito cuidado temos que ter para não estimularmos as crenças limitantes, que normalmente são os pensamentos, as interpretações que tomamos como verdadeiras e que no fundo podem ser falsas.

Claro que muitas vezes, elas podem nos proteger nos momentos de incerteza, nos guiar e mesmo contribuir para nossa estabilidade e coerência interna.

Só que temos que nos cuidar para conhecermos o controle de determinada crença, delimitá-la ou até mesmo eliminá-la nos casos em que pensamos que seja uma influência negativa, ou transforma-las em positivas para fazer nossa vida sempre melhor.

O mais importante é aprendermos  a detectar as crenças que podem se refletir no nosso comportamento e portanto, muitas vezes, influir em nossa vivência diária e em comunidade.

Abraços e bom domingo, incentivando em nós mesmos sempre, crenças positivas, e que possam servir para ajudarmos nosso próximo 🙂

Amanda

Crescimento

Quando falamos em crescimento, muitas vezes nos referimos ao aspecto financeiro, ou aumento de produtividade em algum setor de profissão ou de fabricação.

Mas aqui me refiro hoje mais no crescimento emocional, quando passamos a encarar nossa vida sob aspectos diversos, tanto do ponto de vista pessoal, quanto profissional, para conseguirmos uma sobrevivência digna e proveitosa sob todos os aspectos.

Claro, atualmente o crescimento chega mais cedo para todos, independentemente do aspecto social, de herança familiar ou de independência profissional já adquirida pelo próprio trabalho ao qual nos dedicamos.

Mas, de toda forma, crescer é sempre se deparar com uma série de responsabilidades que não tínhamos, e exige de nós raciocínio e cuidados sobre os quais não nos preocupávamos antes.

Se crescemos social ou financeiramente, isso acarreta uma série de responsabilidades até mesmo no sentido de conseguirmos manter tudo o que foi conquistado anteriormente e que fica difícil recompor, uma vez perdido.

Na própria família, vamos, com o passar do tempo, adquirindo uma série de encargos que antes nem tomávamos conhecimento, e que eram sempre responsabilidade de nossos pais.

Só usufruíamos dos resultados, nossos estudos já eram pagos pelos pais e esperávamos nosso trabalho que viria depois, sem a ansiedade que agora chega mesmo a nos preocupar.

A responsabilidade e o peso de tudo o que a vida adulta nos traz é uma consequência do nosso amadurecimento, tanto físico quanto emocional, pois já crescemos sabendo do que necessitamos e o quanto tudo isso nos custa, emocional e financeiramente.

E, para arcarmos com tudo isso, vamos chegando à conclusão de que nossa luta deverá ser muito grande, e a atenção para mantermos o que conseguirmos ganhar deverá ser dobrada.

Por isso, crescer nos traz uma dupla responsabilidade, nos coloca de frente com o cuidado que temos que ter, afim de conseguirmos sustentar nosso padrão conseguido, muitas vezes, a duras penas.

E também nos desenvolvermos emocionalmente é algo que nos custa, pois temos muitos fatores que podem interferir nesse crescimento, como nossa parte emocional, social, os deveres que nos impusemos e que temos que cumprir.

Crescimento é sinônimo de desenvolvimento, de progresso, uma evolução, enfim, o que nos coloca numa situação de luta sempre que tentamos empreender algo.

Assim, como no trabalho, temos que ver as possibilidades do crescimento humano na organização, as práticas, os limites e as perspectivas em uma empresa da qual passamos mesmo a depender, tanto emocional, quanto financeiramente.

Por isso, tomemos todo o cuidado para sabermos reconhecer quando estamos prontos para crescer e não deixarmos perder as oportunidades para atingirmos as metas e o desenvolvimento humano que nos são oferecidas.

O grande desafio é saber reconhecê-las.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda