Arquivos do Blog

Discrição

Discrição é a característica de quem é discreto e tem discernimento necessário à boa convivência, qualidade de quem é reservado e comedido em suas atitudes, em seus relacionamentos de amizade e profissionais.

Pois disso depende sempre uma boa relação, desde cedo no nosso meio escolar.

Se formos discretos na nossa maneira de viver, ganharemos a confiança de nossos amigos, pois terão certeza de que nossas atitudes não os comprometerão em nenhuma ocasião.

Assim, quando emitimos uma opinião a respeito de algo, em que âmbito for, podemos fazê-lo de maneira a não ofendermos nosso interlocutor ou quem terá solicitado nossa opinião a respeito de algo que esteja sendo colocado em questão naquele momento.

Muito cuidado temos que ter para não cometermos a indiscrição, que significaria sermos intrometidos em assunto que não nos dizem respeito, curiosos onde não nos cabe, enfim, não nos intrometermos onde não somos chamados.

Se somos circunspectos, ganharemos a confiança de quem convivemos, pois os amigos saberão que podemos ter a capacidade de guardarmos um segredo ou uma informação importante para quem nos confiou.

A pessoa discreta ganha a confiança de quem depositou algum segredo, ou alguma informação importante, para a qual se necessita uma resolução ou uma opinião para que a situação em questão possa ser resolvida.

A discrição é a maior qualidade de quem sabe guardar um segredo que lhe tenha sido confiado e sobre o qual tenha sido consultado, pois muitas vezes temos dúvidas de como seria o nosso melhor procedimento em relação a alguma situação delicada e de difícil resolução.

Ao contrário, se chegarmos a cometer uma indiscrição, correremos o risco de criarmos uma inimizade e não conseguirmos, muitas vezes, acertarmos aquilo pelo qual lutamos.

Já sendo discretos, só teremos a ganhar em todos os sentidos, e o mais valioso deles, que é a amizade de nossos circunstantes, a admiração de nossos amigos e a confiança que despertamos em quem convive conosco.

Mesmo porque todos ficam cientes através do convívio que poderão sempre contar com nossa discrição, e a confiança que fortalece a convivência com amigos e com quem se aproxima de nós.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Reconsiderar

Sempre que tomamos alguma iniciativa ou programamos algo novo a fazer em nossa vida, nos vem à mente a dúvida se devemos mudar ou reconsiderar.

Pois, sempre que repensamos sobre o que fizemos ou pretendemos fazer, podem crer que conseguimos encontrar algo a termos que mudar, mesmo que seja algum detalhe no colocarmos algumas ideias, algo que achamos poderia ficar melhor exposto.

E isso pode nos ajudar a melhorar o assunto o qual acabamos de apresentar, seja na área profissional ou pessoal.

Mas para isso, nossa atenção deve estar alerta, para que não nos arrependamos depois de termos colocado algo que achamos que não deveríamos ter feito.

Reconsiderar significa repensar, refletir sobre algo que tenhamos dito, se deveríamos ter feito diferente no sentido de nunca ofendermos alguém, se uma ideia contrária poderia ter sido exposta de forma menos contundente para que não melindrasse nosso interlocutor.

Se retomamos uma ideia, temos a oportunidade de a recolocarmos a respeito de algo e encontrarmos até mesmo uma solução ideal, mais adequada do que a que tivemos anteriormente.

Assim, sempre que retomamos o exame de determinada questão, vemos que podemos ter a possibilidade de uma nova decisão, e reconsiderar algo que tenha sido feito, e quem sabe encontrar uma maneira mais adequada do que a anterior.

Muitas vezes, todos poderemos tomar alguma atitude precipitadamente, não somos infalíveis, mas por isso o cuidado e a revisão antes que propaguemos algo, é imprescindível para evitarmos prováveis erros provocados até mesmo pela pressa que tenhamos tido.

Por isso, reconsiderar é algo que deve fazer parte de nossa vida, tanto a prática, quanto a literária, e assim, evitarmos repetição de erros que podemos cometer.

Uma decisão, por exemplo, não deve ser tomada de maneira rápida e sem pensarmos bem nas consequências que podem advir, portanto pensar bem é algo que deve fazer parte de nossa vida prática e profissional.

Com certeza, dessa forma conseguiremos evitar erros que poderiam nos prejudicar, e, como sempre digo, muitas vezes, sem a possibilidade de retorno.

Abraços e bom domingo, não nos esquecendo de reconsiderar sempre nossas atitudes para errarmos cada vez menos 🙂

Amanda

Equilíbrio Emocional

Claro que seria o ideal conseguirmos adquirir e manter o equilíbrio de nossas emoções o tempo inteiro.

Mas é muito difícil chegarmos a um ponto ideal, mesmo lutando para nos mantermos dentro de um nível sentimental.

Devemos, porem, ao menos tentar encontrarmos o ponto ideal de controle emocional que é a habilidade de lidar com os próprios sentimentos, e esse ponto ideal é o equilíbrio entre a razão e a emoção.

Não é fácil, pois a emoção é uma força, cuja tendência é nos dominar, mas para isso temos o nosso raciocínio que pode nos ajudar no controle das emoções e consequentemente de nossas atitudes.

Devemos cuidar para não perdermos o controle dos sentimentos que, se tomarem conta de nós, ficaremos sujeitos aos seus efeitos e podemos tomar atitudes prejudiciais, em relação a vários aspectos de nossa vivência.

Seja na parte prática ou espiritual, e por isso temos que nos prevenir para não sofrermos as consequências que poderão advir, e que muitas vezes podem ser bem difíceis de serem superadas ou mesmo suportadas.

Fácil muitas vezes não é, pois os sentimentos podem falar mais alto e nos impedirem de usarmos o raciocínio que nos ajuda a conviver com as situações mais difíceis que a vida nos traz.

Por isso, assim,  devemos sempre tentarmos usar o raciocínio para que os sentimentos não nos dominem e consigamos ultrapassar pelo menos um pouco, a parte triste, à qual estamos sujeitos durante nossa vida prática.

A força de vontade e o raciocínio devem caminhar juntos para que tudo consiga chegar a um ponto de equilíbrio que garanta um resultado satisfatório.

Nosso equilíbrio emocional tem o poder de nos ajudar a encontrar o resultado que desejamos e que pode nos trazer o conforto que necessitamos no desempenho de nossas funções, e de nossas emoções.

Assim, tentemos sempre dominar nosso lado emocional afim de tomarmos atitudes coerentes e também racionais, não nos esquecendo de usarmos o raciocínio para evitarmos atitudes impensadas.

Por isso, importante pensar antes de agir, uma norma que aprendemos desde cedo em nossa vida, para prevenirmos consequências contra as quais muitas vezes não temos condições de lutar.

Abraços e bom domingo dentro do equilíbrio emocional que poderá nos fazer tanto bem.

Vamos surfar com as ondas da emoção sadia 🙂

Amanda

Conduta

Quando falamos em conduta, sempre nos referimos à maneira com que conseguimos conduzir nosso modo de agir, em relação à situações que a vida nos apresenta.  E importantíssimo, pensarmos muito bem na conduta que tomamos, pois se erramos, estaremos sujeitos a arcar com consequências que nem sempre desejaríamos e para as quais temos a aptidão necessária para resolver e obter os efeitos de que precisamos naquele momento de nossa vida.

Por isso, nossa conduta, tanto particular como profissional, deverá ser sempre o mais impecável que podemos conseguir ter, para evitarmos resultados com os quais não estaríamos contando e para os quais não estaríamos preparados.

Minha mamy sempre nos aconselhou a pensarmos bem antes de agirmos, em todos os aspectos, pois depois do acontecido, dificilmente  teríamos como consertar as implicações possivelmente desastrosas de nossa conduta.

Tentarmos nos conduzir o melhor possível em todas as áreas de nossas atividades é algo que devemos praticar, e creiam, jamais nos arrependeremos, pois mesmo se for difícil, o resultado de uma boa conduta será sempre bom.

Isso dentro de uma convivência intensa ou diante de uma amizade relativamente nova e sem muita constância.

E numa amizade recente, nesse caso mais ainda, temos uma obrigação de boa conduta, pois nossas atitudes serão julgadas sem base de convivência.

Plantemos, portanto, uma impressão boa e honesta, para que a amizade possa crescer num clima de confiança e seriedade, e que possa durar muito tempo, e sempre usufruindo de alegria e sinceridade.

Por isso, conduta é coisa séria e que pode comprometer uma amizade, dependendo de como é demonstrada. Estamos sempre sujeitos a julgamento, de seriedade e de capacidade de podermos ajudar de alguma forma.

Importante lembrar que a conduta é a manifestação de comportamento do indivíduo, e pode ser boa ou má, dependendo do código moral e ético do grupo ao qual se pertence, claro.

É a nossa forma de agir, de pensar, como nos comportamos na vida como seres humanos.

Portanto, sempre procuremos ter uma conduta o mais correta que consigamos, respeitando nossas regras, ética, e tratando de tornar o ambiente no qual convivemos o melhor possível.

Abraços e bom domingo, conduzindo nossa convivência o melhor que possamos conseguir 🙂

Amanda

Ângulos de visão

Todos temos nosso ângulo de visão em relação a qualquer assunto exposto em determinada discussão, seja particular ou comercial, com parentes ou com amigos.

Isso não quer dizer que tenhamos que ser irredutíveis e afirmarmos todo o tempo que assim pensamos e não vamos mudar.

Errado!

Claro que temos sempre nosso ponto de vista, pois isso depende de nossa experiência e da vivência que tenhamos tido naquele determinado assunto.  Pois, muitas vezes nossa experiência pode ter nos trazido resultados que nos satisfizeram e que nos completaram.

Mas o fato de ter dado certo para nós não significa que terá o mesmo resultado para o nosso próximo.

Tudo dependerá de diversas circunstâncias, de vivência de cada um de nós, e das situações que cercam os acontecimentos, naquele momento de nossas vidas.  Tudo pode mudar dependendo da situação de momento.

E respeitando o ângulo de visão de cada um de nós, o qual depende também de nossa vivência, da situação em que nossa vida está inserida, da educação que tivemos, vemos que nada é definitivo. Nosso julgamento em relação aos acontecimentos deverá ser sempre imparcial, o máximo que consigamos fazê-lo.

O que devemos pensar se estivéssemos naquela determinada situação, será que agiríamos daquela maneira?

Sempre devemos nos colocar no lugar da pessoa em questão, no caso de estarmos partindo para uma opinião, para evitarmos um julgamento precipitado e, muitas vezes, injusto.

E, que pode não ter volta.

Muito depende de como vemos as coisas, nossos ângulos de visão, e normalmente, a verdadeira mudança acontece de dentro para fora.  E muito importante evitarmos que as coisas de fora nos influencie de uma forma que não consigamos mudar depois o que foi feito.

Assim, devemos manter sempre um ângulo de visão positivo, tentando ver a vida de uma forma construtiva e lutar para melhorarmos nossas condições, atitude que pode influenciar também positivamente na vida de quem nos rodeia.

E devemos nos cuidar para não nos apegarmos somente aos revezes que tenhamos tido na vida, pois isso nos faz deixar de enxergar o que ela nos deu de bom.

E, se não estivermos totalmente felizes com nossa maneira de viver, que tal tentarmos mudar nossa maneira de ser?

Pensemos a respeito!

Abraços e um ótimo domingo 🙂

Amanda Delboni