Arquivo mensal: junho 2016

Realizações 

Tudo o que nossa mente é capaz de idealizar, nosso corpo, em geral, é capaz de realizar.

Esse é um conceito que sempre ouvimos dos sábios, pessoas que viveram mais do que nós e que trazem sua experiência e sabedoria a nosso favor.

E, se nos passam suas experiências, é porque já as viveram, já se decepcionaram, e depois de uma luta, muitas vezes, viram realizados seus sonhos e suas esperanças, com resultados que desejavam e que chegaram num momento ideal para compensar sua luta.

Quando sonhamos com algum projeto, normalmente é porque temos a capacidade de realizá-lo, portanto nessa ocasião, temos que partir no sentido de alcançar a realização do mesmo.

Claro que não é algo fácil de ser alcançado, senão alguém já teria feito, mas nossa força de vontade facilitará nossa tarefa.

Realizar é ver pronto, na prática, algo com que sonhamos, estudamos, tentamos, e que depois de muito termos tentado, conseguiremos chegar a uma conclusão que satisfaça nossa vaidade e nosso intuito inicial.

Como chegar a um resultado esperado, eis a questão.

Dependemos, claro, de muitos fatores independentes de nossa vontade, como o tempo que se gasta para tudo a que nos propomos, o clima, o transito, a boa vontade de quem apelamos tecnicamente, enfim, de tudo o que nos rodeia e que poderá influenciar em nossa realização.

Mesmo porque planejar e sonhar é algo completamente diferente do realizar.

Temos que aprender a sonhar com nossas realizações de forma a chegarmos na parte prática, e isso aprendemos ouvindo nosso raciocínio, que deve nos comandar desde o início de algum projeto que nossa mente criou.

A realidade nos chega de repente, tentando, muitas vezes, acabar ou arrefecer nossos sonhos de realização, e com nossa inteligência e vontade de vencer tal resistência, vamos em frente em nossa luta pelo feito ao qual nos havíamos proposto.

E, todas as vezes que conseguirmos realizar algo de acordo com nossa vontade, nos sentimos vitoriosos, com a plena certeza de que nossa vontade é algo imperioso, e devemos sempre nos sentir incentivados para alcançarmos a vitória desejada no início de algum projeto que nossa mente imaginou.

Não nos deixemos influenciar por pessoas que nunca nos incentivam, ao contrário, se as colocamos ao par de algum projeto que nos ocorreu, ouvimos palavras de desânimo e de pessimismo.

Importante é nos armarmos sempre de argumentos conosco mesmos, estudarmos bem cada assunto ao qual nos propusemos, procurarmos retirar todas as dúvidas que possam surgir, e depois de analisadas, colocarmos em prática aquilo que projetamos.

Tentemos, sempre, portanto, fazer com que nossos sonhos e projetos se tornem realizações que nos tornem felizes !

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

 

Anúncios

Faça valer a pena 

Para pessoas que só vêem o lado negativo da vida, nada vale a pena, tudo significa sacrifício, todos fazem tudo de maneira errada, e os resultados de qualquer empreendimento não chegam como gostariam, nunca são o que esperavam.

Se encararmos nossos propósitos de maneira positiva, provavelmente o que vier inesperadamente, conseguiremos vencer, pois nem tudo traz somente aspectos indesejáveis.

Como dizemos sempre, façamos valer a pena nossa luta em relação ao que esperamos, mas a batalha deve continuar para tentarmos conseguir aquilo que seria nosso objetivo inicial.

E mesmo que o objetivo primeiro não seja possível, tentemos nos adaptar e fazer outro caminho afim de chegarmos ao desígnio inicial.

Claro que tudo pelo qual lutamos deverá ser alvo de estudo e pesquisa, para não nos perdermos, batalhando por algo que não valha a pena e cuja luta se torna estéril, sem nenhum valor, independente do resultado que trará no final.

Como os valores variam muito de pessoa para pessoa, não podemos generalizar — o que vale a pena para uns, para outros pode não ter a mínima importância.

Por isso, como tudo é relativo, pensemos bem antes de valorizarmos o que oferecemos. Pode ser que pensamos estar dando muito de nós, tanto do ponto de vista material, quanto espiritual mas, na verdade, pode não estar sendo útil a quem desfruta da informação ou de nosso desprendimento.

Dizemos que a verdade sempre vale a pena.

Isso é algo que aprendemos na infância, fomos criados para dizer a verdade, fosse em que circunstância fosse, pois a mentira, como se diz tem pernas curtas, e é sempre descoberta.

Vamos descobrindo, durante a vida, aquilo que vale a pena ser feito ou não, dependendo de nosso caráter, do ponto de vista de educação que recebemos, dos conceitos que comandam a vida de nossos pais e educadores.

Sobreviver simplesmente não adianta, a menos que façamos valer a pena, e, para isso, temos que fazer de nossa vida o grande motivo afim de realizarmos e progredirmos, tanto em nossas atividades profissionais, quanto pessoais.

Assim, devemos e temos que aproveitar as oportunidades que a vida nos oferece, se vamos deixá-las passar, pode ser que não voltem, e as percamos de vez.

Esse é o grande perigo.

Devemos tentar programar o que vamos realizar em nossa vida, entre razões e emoções, por isso não vale a pena cultivarmos mágoas, pois elas passam e nós ficamos prejudicados em saúde física e mental.

A pergunta que sempre usamos ao questionarmos se “vale a pena” se resume na análise que temos que fazer para calcularmos o que poderemos obter depois de um estudo ou de uma viagem planejada para conseguirmos aquilo que esperávamos.

Temos que nos lembrar de que não precisamos contar cada hora do dia, e sim fazer com que ela tenha valido a pena ter sido vivida, pelo menos no que depender de nós mesmos!

Vamos nos lembrar também de que muitas oportunidades não voltam.

E o que não foi muito bom, deixemos para trás, porque não nos levará para a frente.

Abraços, e um bom domingo, que vale a pena 🙂

Amanda

Reclamar é um vicio

Realmente, de vez em quando, ficamos conhecendo pessoas, para quem a reclamação constante se torna um vício invencível.

E inevitável para alguns.

Todo o tempo, independentemente das circunstâncias ou dos locais, esse tipo de pessoa sempre encontrará motivos, pois são criados por elas mesmas, para reclamar de algo, pode ser do tempo, da espera, de seu cansaço, do atraso ou não do que estaria por chegar.

E assim, as reclamações vão se acumulando e se repetindo.

Reclamam de tudo, porque está frio, porque está calor, porque está demorando, ou porque está rápido, tudo serve para que se realize seu desejo de reclamar, faz parte de seu dia a dia, de sua personalidade, de sua maneira de agir.

Essas pessoas não vêem nunca o lado positivo das coisas, dos acontecimentos, o lado bom que a vida lhes proporcione, mas somente eventos que lhes desagradem, pois isso satisfaz seu desejo de reclamação.

Se realizam quando algo em sua casa não funciona, e nesse caso elas deverão reclamar; reclamam sem razão do serviço de um funcionário que lhes serve, seja uma funcionária da casa, ou alguém que virá fazer algum trabalho extraordinário.

Se torna mesmo um vício de atitude, uma mania que não se consegue dominar.

Em casa, por exemplo, se nos dermos ao trabalho de treinarmos com carinho e eficiência a quem nos ajuda, as falhas se tornarão menos frequentes e, com isso, as reclamações se tornarão cada vez menos necessárias.

Dizem que o pessimista queixa-se do vento, o otimista espera que ele mude e o realista ajusta as velas.

Porque queixar-se sem a tomada de alguma atitude, fica sem nada mudar, e o queixoso sempre encontrará o motivo que para ele é importante.

Se está calor, porque é calor, se frio, porque é frio, e nada faz para ajustar a temperatura ao seu conforto pessoal.

Claro que temos e devemos usar nosso direito de reclamar ao serviço público que não nos atenda, a um fornecedor que não nos dá o prometido, mas tudo isso pode e deverá ser feito sem a característica de irritação e de grito ou palavras que ofendam.

Pois isso só levará a uma revolta, e quem sabe até ao não atendimento que poderia chegar se reclamamos com justiça e atenção, sem a gritaria e mau humor que costumam acompanhar uma ocasião de queixa.

Reivindicar é um direito que temos como seres humanos e cumpridores de nossos deveres, só que podemos e devemos fazê-lo, sempre que possível, com educação, pois dessa forma, teremos mais chances de conseguirmos melhores resultados.

De outro lado, saber receber uma reclamação justa, dentro do que fornecemos, é um sinal de maturidade, e nesse caso, é importante demonstrarmos boa vontade no sentido de o cliente sentir que poderemos tomar providências para corrigir ou melhorar a atividade e serviço que lhe prestamos.

Uma empresa, por exemplo, tem o dever de receber e estudar as reclamações de seus clientes, pois vivem do trabalho que lhes prestam.

Portanto, saibamos fazer e receber as reclamações justas dentro de nossas atividades. Só que devemos fazê-lo com gentileza, em primeiro lugar.

Educação é tudo!

Abraços e bom domingo, sem reclamações desnecessárias 🙂

Amanda

Lutar para triunfar

Quando resolvemos empreender uma luta por um objetivo a alcançar, devemos sempre considerar todos os aspectos que enfrentaremos, e contar com possível fracasso que poderá ocorrer no andamento de algum projeto iniciado ou ainda em fase de criação.

Claro que devemos considerar possíveis diferentes resultados vindos de lutas que empreendemos, e para isso temos que estar preparados, afim de não nos decepcionarmos com efeitos inesperados, pois apesar de combatermos no sentido de tentarmos alcançar o que desejamos, fatores externos podem interferir e alterar o que esperávamos acontecer.

Mas não podemos desistir nunca dessa batalha constante para atingirmos o objetivo ao qual nos propusemos, seja no âmbito pessoal ou profissional.

Recuar é uma posição que devemos evitar assumir, mesmo tendo que enfrentar uma situação mais difícil de transpormos, pois sem luta nada conseguiremos em nenhuma situação que se apresente.

De outro lado, triunfar é poder encontrar a vitória pela qual lutamos e ao vencer os impedimentos que encontramos ao longo do caminho, ficaremos cientes de nossa conquista que nos levará, provavelmente, aos resultados que poderão mesmo mudar nossa vida e nossos caminhos.

Por isso, recuar se torna uma derrota antecipada e assim nunca saberemos se ao empreendermos uma luta pelo que desejamos, teríamos uma vitória ou uma derrota.

A força de vontade no sentido de vencermos uma batalha, em qualquer aspecto, é um fator importantíssimo na conquista do sucesso na luta empreendida.

E, muitas vezes, mesmo não tendo conseguido o resultado esperado e para o qual trabalhamos, não temos o direito de desistir, em favor de nossa própria vaidade e determinação.

A conquista de uma vitória se deve, na maioria das vezes, de nosso esforço, e quanto mais difícil a luta, mais felizes nos sentimos com nossa conquista.

E também temos que saber trabalhar a possível derrota, depois que tudo fizermos no sentido do sucesso que desejávamos alcançar.

A perda não é algo fácil de digerir, em nenhum sentido, mas temos que colocar todo o nosso esforço e usar nosso sentido e inteligência para conseguirmos discernir aquilo que nos torne felizes e conscientes de nossa luta.

O triunfo é sempre devido a uma batalha permanente para o alcance de algo que desejávamos e pelo qual passamos a trabalhar os nossos propósitos, desde que  bem definidos anteriormente.

Sem sofrimento, lutemos para nos proporcionarmos os efeitos pelos quais passamos a batalhar.

E, que a luta pelo triunfo seja produtiva, o que significará o êxito feliz no que nos empenhamos e onde enfrentamos dificuldades a serem vencidas.

A contrapartida do triunfo é, sem dúvida, a derrota, por isso a luta tem que ser intensa para que essa seja vencida pra valer.

Não nos esqueçamos de que, muitas vezes, tudo isso depende, em grande parte, de nós, nosso esforço e vontade férrea!

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda