Arquivo diário: abril 22, 2018

Importância

Importância é uma palavra que pode trazer interpretações diferentes, e com sentidos e sentimentos diversos.

Muitas vezes, achamos que não demos a devida importância a determinados assuntos, acontecimentos e situações que exigiriam nossa atenção mais detalhada. E em outras, questionamos se demos importância demais a algo não tão relevante no contexto geral da vida.

O nível certo de peso que damos a um posicionamento é o que gera o equilíbrio nas nossas atitudes. Mas claro, sem nos colocarmos em posição neutra, o que significaria timidez em expor o que realmente pensamos, e poderia mesmo ser interpretado como uma espécie de covardia.

Por isso dizemos que a importância é uma palavra de interpretação muito delicada. Seu emprego numa frase ou numa conversa pode determinar, e até mesmo mudar, o rumo do entendimento.

Devemos ter uma constante vigilância nos critérios de importância, para não valorizarmos inadequadamente situações do nosso cotidiano.

Sabemos que não é fácil darmos sempre o justo peso a diferentes acontecimentos que nos cercam, mas se fizermos um esforço mental para conseguirmos distinguir o que seria mais justo em tudo o que nos propomos, com certeza iremos conseguir.

E ficaremos felizes ao vermos que o nosso objetivo tenha sido alcançado.

Mas não devemos, de forma nenhuma, dar importância exagerada a algo pelas razões erradas, baseado no prestígio de alguém, seu status social, ou na sua possibilidade de aquisição de bens materiais.

Devemos sim, sermos isentos de tendências protecionistas, para chegarmos a um juízo correto o mais possível.

Quando falamos de importância, nos referimos mesmo à dimensão que certos acontecimentos podem tomar, e é nesses casos que devemos ter cuidado para que nosso juízo não tome a proporção errada ou exagerada, pois em muitos casos não teria a volta que antecipávamos ou desejaríamos.

Assim, tenhamos cuidado para não interpretarmos o conceito erradamente, confundindo nosso juízo com o poder financeiro ou social de quem estaríamos conjeturando.

E não nos esquecendo da  relatividade, que pode interferir no valor que damos para um e para outro, dependendo sempre da educação, da idade, da maneira de ser de cada um de nós, das nossas dificuldades em diversos setores, etc.

Importante, portanto, não deixarmos que a emoção tome conta e tentarmos desenvolver nossa capacidade de nos adaptarmos a situações de risco e de dificuldade, pois é inevitável que surjam em nossa vida.

Abraços e tentemos fazer sempre a diferença entre o que seja de maior ou menos importância para que não entremos em choque e vivamos felizes 🙂

Amanda