Amargura

Toda vez que pudermos conseguir arrancar a amargura de nosso coração e colocar um pouco de mansidão e docilidade, ficaremos mais felizes, seguramente.

Quando agimos com amargura, estamos sujeitos a provocar situações desastrosas, com efeitos nada desejáveis e consequências que podem nos deixar desgostosos e com soluções complexas.

Podemos ficar tristes com fatos que não estavam programados e que não esperávamos, mas se pensarmos bem antes de tomarmos atitudes precipitadas, provavelmente as soluções que encontrarmos serão mais adequadas.

A amargura não leva a nenhum tipo de resolução, pois o sentimento toma conta de nosso coração, impedindo-nos de pensar com a razão, que poderia nos toldar o raciocínio ideal para resolvermos problemas mais difíceis.

Claro que não é fácil. Normalmente, quando nos sentimos tristes e amargurados é porque existe um motivo, como a tristeza de uma perda ou de um desentendimento com alguém que amamos, ou que privamos de amizade.

Não sentimos porque queremos; o sentimento de amargura nos aborda.

Mas, mesmo sendo difícil, precisamos tentar controlá-lo para que nossa saúde e disposição não sejam prejudicadas e com isso tornem piores as soluções dominadas pela emoção que nos tomam de assalto quando estamos tristes, magoados, decepcionados.

Vemos tudo modificado, com uma visão deturpada da realidade, e as soluções tomadas em momentos amargurados são determinadas pelo desespero que pode transformar todo um resultado e sinalizar um caminho não desejável.

Devemos e temos mesmo a obrigação de lutar contra o sentimento da amargura, pois ele só nos causa transtornos emocionais, sofrimento, sentido de que fomos injustiçados, o que nos torna possivelmente, pessoas desagradáveis, munidas de sentimentos ruins.

Claro que sentimos muitas vezes certa amargura quando perdemos um ente querido, saudade de alguém que nos faz falta, algo que nos é caro, e outras ocasiões, mas é importante reconhecermos quando a amargura se torna um sentimento maior do que a tristeza.

Se torna doentio quando deixamos que vá além e perdure mesmo depois de conseguirmos superar um pouco a tristeza de algum acontecimento que nos tenha provocado esse estado de espírito.

Amargura é um sentimento extremamente negativo, aparece e permanece, e por isso precisamos nos cuidar para amainarmos nossa tristeza profunda, evitando que tome conta de nossa mente e de nosso espírito.

Se nos persistirmos amargos, é como se fosse uma doença que transmitíssemos para as pessoas que nos rodeiam, pois todos ficam até mesmo sem saber como nos consolar e parece algo eterno, que nunca passará.

Vamos sempre tentar não nos amargurarmos, usando nosso raciocínio no sentido de pensarmos se será que tudo o que está acontecendo, apesar de parecer o contrário, se não terá sido para o nosso bem.

É evidente que acontecimentos tristes temos e teremos em nossas vidas, sempre, mas pelo menos tentemos espantar a amargura que persiste e pode vir a nos fazer mal até mesmo à nossa saúde física, pois vai nos minando devagar.

Tentemos ver à nossa volta tudo que recebemos de bom, nossa saúde, nossos parentes, amigos que sempre estão presentes, nossa vida em geral, e o que ela nos oferece de bom, de distração e tudo o que temos e que pode nos proporcionar alegria de viver.

Li outro dia: “o conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice”.

Vamos, portanto, tentar colher a sabedoria como pudermos fazê-lo. Já será um bom consolo em nossa vida.

Abraços e bom domingo, sem amargura 🙂

Amanda

 

Anúncios

Publicado em junho 14, 2015, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Mais um grande tema , habilmente abordado…

  2. Amargura é desesperança e desesperança leva a perda de controle da vida.
    Estar em sintonia com a condição humana e aceitar o enfrentamento de obstáculos que causem mágoas profundas é a regra para retomar paz de espírito.
    Não poder mudar os fatos é aceitar a convivência com eles.
    Se a vida traz equívocos e desatinos a sabedoria humana oferece condições para supera-los.
    Bjs

  3. Querida Amanda Adorei seu texto muitas saudades um grande beijo Anete

  4. Querida Amanda,

    A propósito de seu belo artigo “Amargura”, segue matéria abaixo:

    Beijos Regina

    G1 – Conheça o drama das crianças arrancadas das famílias em experimento social na Dinamarca – notícias em Mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s