Liberdade

Saber usar a liberdade é uma arte que temos que aprender e aperfeiçoar durante nossa vida.

Uma variação da bandeira da Inconfidência Mineira tem a inscrição maravilhosa: “Libertas quae será tamen”, que quer dizer “Liberdade ainda que tardia”.

Usar a liberdade não é fácil, pois quando a temos, muitas vezes, não conseguimos enxergá-la, valorizá-la e utilizá-la no sentido maior da palavra, e sem seu uso adequado, podemos torná-la algo difícil de ser compreendido ou mesmo dominado.

Tomemos como exemplo nossa ânsia de liberdade quando somos jovens, quando começamos a vislumbrar os prazeres que a vida pode nos oferecer, e que achamos que a liberdade poderia nos trazer, como sair e voltar na hora que desejaríamos e que não podemos, pois nossos pais, dentro de suas responsabilidades, nos cerceiam a liberdade almejada.

Desejaríamos também não termos tantas responsabilidades de estudar, tantas provas para fazer e tantas obrigações que tornam nosso tempo tão curto e, ao nosso ver, nos deixam, aparentemente, sem o tempo que gostaríamos de ter com os amiguinhos.

Mas nos esquecemos de que quanto mais temos a chamada liberdade, mais responsabilidade trazemos para nós mesmos, pois seu mau uso pode nos acarretar consequências inesperadas e, às vezes, difíceis de serem acertadas.

Lutamos para ter a chamada liberdade, e depois, muitas vezes, não sabemos o que fazer com ela.

Minha filha tem um cão ainda jovem, e rimos muito um dia, pois ele fica bastante ansioso para ser solto de seu recanto.  Mas quando o soltamos, ele realmente não sabe o que fazer com a liberdade.  Não acha muita graça e acaba se deitando, quietinho, junto de nós.

Claro que, em tese, o cidadão tem o poder de exercer sua vontade dentro dos limites da lei, naturalmente.

Mas, na verdade, nossa liberdade nos impõe vários limites: o da lei, o da decência, o da honestidade, o da lealdade, do cumprimento dos deveres.

É muito importante tomarmos conhecimento exato de nossa liberdade, pois ela termina exatamente quando começa a liberdade alheia.

Benjamin Franklin já citou: “Onde mora a liberdade, ali está a minha pátria”.

Importantíssimas palavras, pois temos que reconhecer que a falta de liberdade deve ser terrivelmente deprimente e triste, pois nos priva do convívio e nos condena, muitas vezes, à solidão.

Então, mesmo que em algumas ocasiões nos seja oferecida a liberdade de ação, nosso raciocínio nos apontará sempre à direção mais apropriada a seguir.

Temos um exemplo interessante em nossa equipe de funcionários.

Uma delas  teve uma fratura de tornozelo gravíssima, e o médico  que a atendeu, lhe deu a possibilidade de faltar ao trabalho por três meses, pois teria que usar cadeira de rodas, impossibilitada que estava de pisar.

Por sua própria decisão, ela não usou a liberdade de poder descansar, não faltou um dia sequer, veio trabalhar e usava a cadeira de rodas para se locomover.

Seu trabalho não dependia de muita caminhada, mas sua boa vontade foi de grande valia, pois não interrompeu o andamento de suas atribuições.

A responsabilidade e a grande  amizade que sente por nós impossibilitou-a de usar a liberdade que lhe foi oferecida.

Somos eternamente gratos e reconhecidos por essa atitude.

Usemos nossa liberdade com critério e responsabilidade, assim seremos sempre  livres!

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em setembro 8, 2013, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Amanda, realmente a liberdade implica em atos responsáveis!!!
    A pessoa que sabe usar a liberdade de modo civilizado e com respeito ao próximo só traz benefícios a todos que a rodeiam.

  2. Amanda, Liberdade de expressão de decisão de pensamento otimo bjs anete

  3. Vc traduziu em palavras o que sabemos, sentimos e que as vezes é difícil colocar em prática
    Parabéns

  4. Amanda , vc tem os melhores funcionários que já vi! Mas isso tem a ver com sua impressionante habilidade de selecionar e gerenciar pessoas….

  5. Atualmente, Amanda querida, muitos governos, na ânsia de um poder exacerbado sobre a sociedade, cria leis que cada vez mais, sutilmente tolhem as liberdades individuais. As chamadas ações afirmativas, por exemplo, concedem liberdade de expressão às minorias que podem se manifestar livremente isentas de censura, negando o mesmo direito a quem se posiciona contrário. Concedem liberdade aos meios de comunicação, dando-lhes o direito de impor ao cidadão conteúdos que ferem a moral, as leis, as verdades históricas. E, que por falta de Educação de qualidade, deixam o cidadão à mercê de uma vontade própria deformada que o coloca nas mãos do estado….Uma boa semana, abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s