Arquivo diário: julho 26, 2015

Imperfeições

Li e gostei que devemos tolerar nossas próprias imperfeições, mas não nos acostumarmos a elas.

Concordo plenamente, pois se fizermos uma análise, a mais imparcial possível, sobre nossas características pessoais, encontraremos a fórmula ideal de boa convivência entre familiares e amigos.

E, na verdade, o que se caracteriza como imperfeições?

Atitudes que consideramos imperfeitas, podem, muitas vezes, se apresentarem como perfeitas aos olhos de outras pessoas.

Por isso, o julgamento teria que ser tremendamente imparcial, o que não é fácil para o ser humano, que, de maneira geral, não tem muita tolerância para imperfeições alheias, principalmente se não combinam com suas próprias idéias e conceitos já arraigados.

O nosso julgamento em relação aos próprios atos terá que ser sempre neutro e objetivo, se queremos evitar que imperfeições conduzam nossa maneira de viver e de agir em relação aos que nos rodeiam.

Temos que cuidar para não nos preocuparmos em sermos perfeitos, pois aprendemos com nossos erros, desde que tenhamos consciência de que podemos melhorar criando atitudes mais adequadas ao meio em que vivemos.

Todos passamos por ocasiões onde nos desentendemos, desarmonias, até aprendermos a entender a necessidade que temos de transformá-las e começarmos a buscar o que nos melhore, caminhos, filosofias e conceitos que possam nos aproximar da melhor perfeição que possamos alcançar.

Precisamos ter a consciência de que o amor é mais importante e certo do que as imperfeições que possamos notar em nossa personalidade.

Mesmo porque, se reconhecemos nossas próprias imperfeições, teremos as condições de tentar corrigi-las ou mesmo eliminá-las, se possível.

Como sempre cito, termos idéia da humildade no reconhecimento de nossas falhas é imprescindível para o sucesso de qualquer empreendimento, pois se não conseguimos nos analisar, como conseguirmos melhorar?

É difícil.

Vamos, portanto, tratar de usarmos o raciocínio no sentido de identificarmos nossas deficiências, sejam em que âmbito forem antes que alguém as aponte, o que, nesse caso, poderá nos magoar.

Podemos evitar esse constrangimento fazendo sempre uma análise a respeito de nossas atitudes e pensando se será que estamos criticando as imperfeições alheias   e nos esquecendo das nossas.

E tem outra coisa: imperfeições são para serem corrigidas, caso estejam nos prejudicando ou a alguém a quem queremos bem.

Não é fácil, mas pensar no assunto já será um sinal de modéstia e bons sentimentos que temos que cultivar.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda