Segunda Chance

Semana passada abordamos o tema referente a primeira impressão e recebemos muitos comentários de pessoas falando da importancia da segunda chance, e concordo plenamente com todas elas.

Tanto assim que hoje foquei exatamente na segunda chance que temos que dar a nós mesmos e a outras pessoas com quem nos relacionamos, e as quais talvez não nos tenha conquistado na primeira vez em que nos vimos.

Cito com frequencia uma frase que gosto muito, de um grande filósofo da antiguidade: “Quem pensa, muda”.

Claro que é importante tentarmos deixar sempre uma primeira boa impressão, que permanece quando conhecemos alguém.

Mas, ao mesmo tempo que devemos ter cuidado para não deixarmos uma má primeira impressão, é importante também estarmos abertos e dispostos a rever, dando assim, uma segunda chance a pessoas, lugares, relacionamentos, etc.

Quem pensa, muda. E a vida nos proporciona, muitas vezes, surpresas inimagináveis, e nos apresenta, até mesmo inesperadamente, uma segunda chance de reconsiderarmos nosso juízo anterior, que, por algum problema de aparência, ou comentários de outras pessoas, podem mudar nossa impressão inicial.

Temos que estar abertos para novo raciocínio, novas experiências, novos juízos diferentes do que fizemos anteriormente.

Claro que temos que nos esforçar para sempre causar uma boa primeira impressão, pois, como disse, muitas vezes não teremos essa segunda chance de renovar nossas idéias a respeito de determinadas pessoas.

Podem não nos dar essa oportunidade.

Mas devemos, sempre que possivel, tentar desfazer uma má primeira impressão, tanto de nós para outros, como ao contrário.

Uma segunda chance é como um prêmio que ganhamos da vida por algum merecimento – ou até um aprendizado, ao reconhecermos nosso erro de precipitação de julgamento.

Ao procurarmos conhecer melhor o interior de quem teria nos causado incialmente uma primeira má impressão, estamos praticando também a humildade.

Isso pode acontecer ao sermos apresentados, por exemplo, em momento não adequado, a alguém que está apressado, que está vivendo um drama que desconhecemos, acabou de perder um trabalho que era importante para seu desenvolvimento ou um ente querido.

Mas, exatamente por isso, podemos nos dar e também dar à pessoa que nos causou um impressão não muito positiva, uma segunda chance.

Chance de conhecer melhor, de compreender melhor o que a teria levado a agir de maneira não muito simpática, os problemas que estaria enfrentando quando nos encontramos, notícias que pode ter recebido exatamente naquele instante, e muitas outras probabilidades que a teriam motivado a agir de maneira não muito agradável.

Compreensão, em geral, é a palavra chave.

Me lembro de alguém me relatando sobre como a segunda chance a fez considerar completamente diferente uma pessoa que havia conhecido.

Era uma profissional de alto nível, mas como todos que lidam com o público, são vítimas de comentários os mais variados.

E essa amiga se influenciou e inicialmente não gostou dessa pessoa, não fazendo questão de intensificar o contato e iniciar uma convivência.

Com o passar do tempo, muita gente próxima começou a ser atendida por essa profissional que minha amiga desgostou no primeiro contato, e a fazer comentários positivos sobre ela, demonstrando sua capacidade de atendimento, eficiência nos resultados alcançados e simpatia.

Minha amiga se deu uma segunda chance em relação a essa profissional, e surpreendeu-se positivamente. Hoje são amigas.

É importante intensificarmos nosso desejo de podermos desfazer a primeira má impressão, mas devemos também nos esforçarmos, para que não façamos juízos intempestivos antes de conhecermos alguém realmente.

Grande abraço e um ótimo domingo, repleto de segundas chances 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em junho 1, 2014, em Inteligência Social e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Amanda , seus comentários são muito interessantes , ouso acrescentar que algumas pessoas apenas passam por nossas vidas , e não nos deixam a oportunidade de uma segunda impressão ou chance para um conhecimento mais profundo de ambas as partes .
    E logo surgem outras com quem temos apenas um relacionamento fugaz . A Vida tem uma dinâmica que muitas vezes escapa ao nosso controle ,gerando frustração e temos que lidar com elas . Espero não ter fugido ao tema , seu texto me induziu a essa reflexão .Beijo
    Tereza 😉

  2. Excelente e oportuno! Como disse o Gregório Duvivier, em sua coluna de hoje, na Folha: “Abrir mão do direito de ser detestável: não há nada mais adorável.”

  3. Brava !! As segundas chances podem nos sorprender com novas descobertas !! Besoss

  4. Isso acontece todos os dias com todo mundo. Tem que ter muita maturidade e generosidade para entender como vc. Bjs

  5. Fundamental! Sobretudo não se deixar influenciar totalmente pelas opiniões de terceiros sobre alguem..
    Até uma secretária pode passar impressao superficial e enganosa sobre alguem com quem somente falou ao telefone..
    Bravo, Amanda!.

  6. Bella T Zilbovicius

    Man vc. é mesmo uma pessoa especial!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s