Arquivo diário: fevereiro 3, 2013

Fracasso/Sucesso

Sempre que penso no significado das palavras fracasso e sucesso, me lembro de um caso que ocorreu com minha filha.

Quando ela chegou em Miami, depois de anos como correspondente em Washington, queria lecionar, passar um pouco de sua experiência para alunos de jornalismo.  Ao bater na porta da Florida International University, onde é professora e atualmente dirige uma redação para os universitários, o chefe do departamento na época, hoje um grande amigo e mentor, lhe disse que precisaria conhecer melhor a dinâmica de Miami antes de dar aula numa cidade onde nunca havia trabalhado.

Saiu triste mas em seguida, ela apresentou o currículo na Universidade de Miami e imediatamente foi aceita.

Dois anos depois, havia adquirido experiência na UM, trabalhando diretamente com uma professora que há 20 anos mantinha uma redação de enorme sucesso.  Nesse ínterim, abriu-se uma vaga na FIU, e ela se candidatou.  E entre grandes nomes da mídia americana, foi escolhida para o cargo e passou a dirigir um novo serviço de noticias, South Florida News Service, na faculdade, onde havia sido recusada anteriormente para uma posição de menor prestigio.  Essa vitória se deu justamente por ela ter desenvolvido o conhecimento necessário para atingir o sucesso nesse desafio.

Fracasso?  Ou Sucesso?

O que muitos chamariam de fracasso serviu de incentivo para o sucesso conseguido posteriormente.

Ela se impôs um desafio, pois sendo dona de forte personalidade, ao ter sofrido o “fracasso” naquilo que se propôs fazer, criou um tremenda força interior, ainda maior, o que lhe deu o incentivo para lutar e conseguir o resultado desejado.

Todas as vezes que nos propomos a realizar algo, temos que contar com o sucesso e também aventar a hipótese de um eventual fracasso naquele momento, para não nos surpreendermos ou nos decepcionarmos.

Parece paradoxal que um fracasso possa ser a força propulsora para a vitória, mas isso acontece mais do que imaginamos, e ainda mais nos dias de hoje, onde a competição é enorme, com mais possibilidades do que em tempos passados.

As mulheres, por exemplo, entraram em campos antes exclusivamente masculinos.  Estudam mais, se dedicam a novas profissões que se lhes tornaram acessíveis e por isso, a luta se tornou maior e mais acirrada – mais suscetível  ao fracasso, mas também ao sucesso.

Quem não luta, não se arrisca.

Cada fracasso pode provocar o espírito de luta que esteja latente dentro de nós, e  assim, cada vitória obtida ganha novo aspecto e nova valorização.

Um fracasso pode ser o resultado de uma ou de uma série de falhas.

Mas com experiência, conseguimos, muitas vezes, prever algum fracasso, e, dessa forma, evitá-lo.

Se estamos atentos e conscientes das nossas limitações, conseguimos prever situações de fracasso antes que elas ocorram, tornando mais fácil a vitória.

Um fracasso nada mais é do que uma falta de sucesso em nossas empreitadas.  Mas é importante lembrar que o próprio conceito de sucesso é relativo. Tudo depende  de nossas pretensões.

Muitas vezes, criamos a oportunidade de mudar nossa atividade em função do fracasso na anterior.

Nada nos impede, e ao contrário, podemos substituir uma carreira e obter sucesso absoluto em outra que escolhermos, se nos dermos a chance.

E isso não pode, nem deve ser considerado um fracasso, e sim um tremendo espírito de luta acrescido de humildade.

Fracassar? É humano.

Persistir? Burrice.

Lutar e renovar é o ideal para se vencer em qualquer oportunidade  e em qualquer ramo da atividade humana.

Abraços e bom domingo,

Amanda