Vaidade

Vaidade é uma característica que pode ser positiva, dependendo do resultado que se deseja.

Mas ela pode também ser altamente destrutiva se não observarmos a medida necessária para  atingirmos o equilíbrio na convivência e no bem estar de quem nos rodeia, principalmente quando se manifesta na forma de excessos.

Não é fácil dosar a vaidade, pois todos lutamos para melhorar a cada dia, sob todos os aspectos.

A vontade de vencer obstáculos nos projeta para a frente, para a luta diária em vários setores da atividade humana.  Somente precisamos nos policiar para não extrapolarmos em nosso sentimento de vaidade.

Uma pessoa vaidosa pode até pecar por desejar resultados, muitas vezes, somente no sentido de despertar a admiração dos outros.  E esse é um lado da vaidade que tende apenas a prejudicar o relacionamento pessoal, profissional e social.

Conheci pessoas altamente capazes em suas profissões, mas com problemas muito sérios de auto-afirmação.

Tentam superar seu complexo de inferioridade, seja ele qual for, exibindo uma tirania, que nada mais é do que uma vaidade exagerada e inadequada ao mundo em que vivem.

E, geralmente, são pessoas inteligentes, com capacidade de  trabalho, que se colocassem de lado esse tipo de sentimento que as consome, teriam sempre resultados maravilhosos.

Não precisamos generalizar.  Mas é importante ressaltar esses exemplos de vaidade que devemos combater para buscar resultados positivos em tudo que desejamos realizar.

Buscar a compensação dos próprios complexos  em atitudes cheias de vaidade não nos leva a nenhum caminho produtivo.

Nossa “superioridade” deve se basear na capacidade pessoal, profissional e social, no sentido de conseguirmos nos relacionar o melhor possível com a sociedade que nos rodeia.

Claro que faz bem à nossa personalidade vencer desafios em nosso trabalho e na profissão que abraçamos.  Já essa é uma vaidade benéfica — que beneficia a quem a possui e a quem recebe seus frutos.

Podemos dizer o mesmo referente  à vaidade  no seu aspecto físico, que também é muito louvável, lembrando que devemos mantê-la dentro de limites toleráveis e responsáveis.

Falo de cuidados pessoais, que são muito importantes para a nossa convivência com o próximo. Ninguém tem culpa dos nossos problemas e os cuidados conosco devem ser motivo de satisfação, e até de incentivo à realização de nossas buscas.

De fato, acho que quase nada justifica a falta total de vaidade, a não ser a doença, que muitas vezes nos impede de manter o nosso nível normal de vaidade.

Mas mesmo em algumas circunstâncias vivendo situações difíceis, podemos tentar e conseguir manter a boa aparência e esse comportamento gera em algumas ocasiões um ambiente mais alegre dentro dos momentos de tristeza.

Numa ocasião tive duas cirurgias e isso exigiu minha permanência no hospital por um mês.

Como sou uma pessoa assumidamente vaidosa com minha aparência, pela manhã já me colocava com um aspecto o mais apresentável possível dentro das circunstâncias e do ambiente do hospital.

Nunca me permiti ficar despenteada e com aspecto desgostoso e descuidado.

E num desses dias, tive até a ajuda de uma auxiliar depois do seu horário de trabalho para retocar meu cabelo.

Foi até divertido!

Muitos podem achar um exagero.  Eu já vejo diferente.  Para mim, era uma deferência às minhas visitas, que já se viam penalizadas pelo meu sofrimento.

A vaidade saudável alimenta nosso espírito, principalmente quando vencemos  desafios que julgávamos muitas vezes impossíveis de transpormos.

Mas vamos aprender a diferenciá-la da vaidade doentia que só prejudica o nosso bem estar e impede o nosso crescimento.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em janeiro 20, 2013, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Gladys Abud Rodrigues

    Amanda, como sempre temos que administrar os dois lados da vaidade,,mas o problema de auto-afirmação muito bem colocado na sua postagem é muito visível em diversificadas situações nada benéfica para o ser humano. Bjs.. Gladys

  2. Excelente, Amanda.

    Obrigado

    logo_oxfordgroup (3)

    Carlo Barbieri

    President

    HQ –Sede propria:

    4800 N Federal Hwy Building “D” suite 101

    Boca Raton Fl 33431 – USA

    Main Line: 1-(561)674-9999

    Direct Line: 1(561)6749997

    De São Paulo: (11)35444897

    Barbieri@Oxfordusa.com

    http://www.OxfordUSA.com

    FaceBook-icon Linked-In-icon twitter-icon YouTube-icon wordpress-icon

  3. Querida Amanda.
    Aí cabe a famosa frase:

    “USE COM MODERAÇÃO.”..

    (Em qualquer que seja o sentido)

  4. Lidia Izecson de Carvalho

    Amanda, vamos fazer um movimento: ABAIXO OS EGOS SUPER DIMENSIONADOS. he he he.
    Cá estamos de volta e contentes por termos visto nossos pombinhos felizes, Você também já está por aqui? Bjs. Lidia

  5. Elizabeth Milanez

    Amanda, a cada dia te admiro mais!!!
    Adorei sua postagem deste Domingo!
    Um beijo enorme,
    Beth

  6. Muito interessante Amanda. Para mim, que sou super vaidosa, é um texto que me alerta para que esteja atenta em não ultrapassar os limites.

  7. A vaidade tem dois lados,e saber lidar com eles é a grande sabedoria.Muito boa mensagem!
    bjs.

  8. Nunca esquecerei a imagem de beleza e serenidade que vi no hospital, Amanda sentada em sua cadeira, sem quase poder se mover, mas com lindas e longas pernas bronzeadas aparecendo sobre um delicado robe curto, perfeitamente penteada e maquilada, sorrindo… Que entrem os paparazzi….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s