Arquivo diário: novembro 18, 2012

Egoísmo

O egoísmo, a meu ver, está intimamente ligado ao ciúme.

É um sentimento que nos coloca sempre em situação difícil, pois não tem como ser administrado.

Ele constrange e depois de demonstrado, fica quase impossível voltar atrás.

Pode se manifestar desde um forte sentimento de posse por uma pessoa como por objetos que nos pertencem.

O egoísmo faz com que nos apeguemos de maneira exagerada, seja a pessoas ou bens materiais, e se manifesta, muitas vezes, quando as pessoas ignoram a necessidade alheia.

E isso na parte prática da vida, mas tem também o egoísta intrínseco, aquela pessoa que só pensa em si, no que ela quer fazer, no que ela sente. O que o próximo sente ou quer fazer não é problema seu.

Ela quer os amigos só para si, criando situações embaraçosas, pois só pensa no que a faz feliz.

Só que o egoísta é sempre solitário e infeliz.

E o pior, ele pensa que fica feliz fazendo somente o que lhe agrada sem considerar a pessoa ao seu lado, mas no íntimo sabe que não está agindo corretamente e que deveria ouvir a opinião de quem o acompanha.  Mas não o faz.

Tenho uma funcionária, que é como uma irmã para mim.  Ela sempre diz: “quanto melhor vocês estiverem, melhor minha família vai estar”.

O sucesso do próximo deveria sempre ser visto com esses olhos.  A vida é uma troca de atitudes e sentimentos.  Mas muitas vezes, observamos o contrário: Pessoas invejosas e egoístas que passam o tempo se comparando aos que possuem, aparentemente, mais amor, alegria, dinheiro ou até saúde.  Isso não leva a nada.

Eu fico feliz pelo sucesso e conquistas dos outros.

Um dia estava jogando num cassino na França, e ao meu lado tinha uma senhora que se via muito pobre, tentando com suas poucas moedas o prêmio tão desejado por todos.

Me peguei torcendo para que ela pudesse ganhar e aconteceu.  Ganhei meu dia com sua vitória.  Quando queremos o bem do outro, acabamos recebendo em dobro, e isso não é clichê.  Acontece, sim.

Minha torcida foi exatamente porque percebi que naquele momento ela precisava mais do que eu daquele prêmio.

Mas sei que esse sentimento não é comum como acho que deveria ser.

Na maioria das vezes, o egoísmo tem a conotação de inveja, e também de ciúme.

Fica patente quando algumas pessoas percebem que sua amiga dá mais atenção a outra.

Primeiro vem o ciúme, que denota egoísmo, pois gostaria de ter essa amiga mais dedicada a ela.

São sentimentos que raramente percebemos e muito menos a relação entre eles.  Mas mesmo que não queiramos admitir, o egoísmo, inveja e ciúme estão intimamente ligados um ao outro.

E isso não é só entre amigos.  Vejo muito claramente o egoísmo – e ciúme – de muitos pais em relação a seus filhos quando assumem uma ligação amorosa.  Claro, há casos em que os pais, com mais experiência, estão vendo que a relação não vai durar pelas diferenças de hábitos e valores.

Mas outras vezes, é por puro ciúme e por não suportarem a idéia de dividir o amor deles com outra pessoa, acabam interferindo desastradamente nas suas relações, causando o fim do relacionamento de seus filhos, pelo simples prazer de tê-los mais tempo ao seu lado, sem dividir com seus pares.  Ou acabam levando ao distanciamento com os filhos, o que é ainda pior.

Em compensação uma falta de egoísmo, por exemplo, e já presenciei muitas vezes, é alguém prestigiar outro que seria na linguagem popular, seu concorrente.

Meu marido nunca chamou as outras empresas que desenvolviam a mesma atividade que ele, de concorrentes.  Sempre os chamava de colegas de trabalho.  Considerava que todos eles trabalhavam para o bem comum e o desenvolvimento da ciência à qual se dedicavam.

O que denota também falta de egoísmo é o companheirismo entre cônjuges.

Um deve  acompanhar o outro, mesmo que não seja sua atividade predileta, ou permitir que ele pratique o que gosta.  É o respeito às preferências.

Afinal não nascemos iguais.

Mas confesso que sou egoísta ao extremo quando consigo ajudar alguém em qualquer setor da atividade humana.

Se vejo resultados e pude ter alguma influência, fico feliz, e creio que essa felicidade está intimamente ligada ao meu egoísmo, e aqui não há a menor relação com o ciúme ou a inveja.

Espero, então, egoisticamente, que vocês possam apreciar meus blogs 🙂

Abraços, bom domingo.

Amanda