Arquivo diário: abril 8, 2012

Componente Crítico Constante

Fico impressionada com certas pessoas às quais nada consegue agradar ou surpreender.  Já vão aos lugares para não gostar, seja em restaurantes ou em festas.

A comida não é boa, as roupas das pessoas nunca são elogiadas, e imagine se elogiam as pessoas?  Nem pensar.

Para eles, tudo tem defeito, nada serve.  Está tudo fora de moda ou sem sentido, frio ou quente demais.

Normalmente não acham graça em nada.  Por melhor que seja, estão sempre falando mal de amigos, de parentes e de lugares.

Tenho certeza de que muitos conhecem pessoas assim: o crítico crônico, que nunca está contente porque, por sua própria personalidade, vive procurando defeitos nos outros ao invés de tentar ver algo de bom.

Outro dia uma pessoa amiga achou o bolo doce. Não doce demais.  Simplesmente doce.  Eu dei risada dentro de mim.  Imagine se é uma sobremesa?  Não poderia ser salgado.

Confesso que fico com muita pena de pessoas que se sentem dessa forma, pois nada aproveitam da vida.  E sempre se tem muita coisa boa para se ver e vivenciar.

Um dos ingredientes fundamentais para desenvolver a inteligência social é curtir a vida, as pessoas, onde estamos.

Eu por exemplo, procuro ver tudo de bom em tudo e em todos.  Não sofro do Complexo de Pollyanna.  Sou bem realista com a vida, mas bem humorada. Vejo graça em tudo e deixo para me chatear com o que realmente merece chateação.

Digo sempre que se alguém tem alguma qualidade negativa, que todos temos, na verdade, não é problema meu.  Coitada dessa pessoa que tem que conviver com isso.  Eu só usufruo do que a pessoa tem de bom.  É mais prático e também torna a minha vida muito melhor.  Me dá menos rugas no rosto, pois dizem que sorrir mexe com muito menos músculos  do que ficar zangado.

Canso de ver gente reclamando em viagem. Não adianta estar numa cidade e só conseguir ver o que ela tem que pode nos desagradar.

Quando moramos em Florianópolis, curtíamos o que a cidade tinha de bom.  Não comparávamos com São Paulo.  Quando tínhamos casa em Washington, adorávamos visitar os museus e monumentos.  Não reclamávamos dos americanos.  Pelo contrário, tínhamos muitos amigos americanos.  Agora que temos casa em Miami, curtimos a latinidade da cidade e não esperamos que seja uma réplica de Washington.

Gosto de todas as cidades e de todos os paises que já visitei, onde vi coisas maravilhosas sob todos os aspectos, sem me incomodar ou procurar algo que não fosse tão bom.

Basta procurar.

Vimos uma vez na Cidade do México o ballet Lago dos Cisnes apresentado num palco armado dentro do Lago de Chapultepec, no centro da cidade. Originalíssimo, lindo, aproveitamos  muito essa noite, conhecendo  algo completamente diferente e que nunca havíamos visto apresentado num local assim.  Só faltava eu estar lá me queixando que era ao ar livre.

Esse foi o encanto.

Sempre tem algo de bom para encontrar nas pessoas e nos lugares.

Comece a procura que vai achar!

Agora vamos curtir o domingo e não reclamar que é um dia monótono 🙂

Feliz Páscoa! Feliz Pessach!

Um abraço,

Amanda