Justiça

Quando falamos em Justiça, pensamos em verificar se ela foi efetuada, seja na área particular ou na criminal, ou outro tipo de comportamento que deveria ser julgado, particular ou publicamente.

Fazer a justiça, como se diz, seria conseguir julgar corretamente uma atitude que teria, de alguma forma prejudicado alguém, e que teria trazido consequências contra as quais seria difícil lutar, no sentido de amenizar ou anular o indesejado.

Sempre aprendemos a respeitar a “Justiça”, principalmente do ponto de vista público, mas temos que respeitar também a forma de justiça que nossos pais, por exemplo, nos impuseram sempre, no sentido de sabermos agir entre os parentes e amigos que fazem parte de nossa vida.

Se somos injustos com alguém, logo sentimos, e se for possível, devemos tentar corrigir nosso erro, para não prejudicarmos pessoas inocentes que estejam ao nosso redor.

Sermos justos, muitas vezes, não é tão fácil, pois podemos incorrer no erro da tendência a favorecer amigos e parentes, mesmo sabendo que tenham agido de forma imprópria e desajustada a determinada situação.

Por isso, devemos treinar nosso raciocínio no sentido de sermos, ou tentarmos ser, imparciais, para que ao julgarmos alguém ou alguma situação, sejamos justos e não prejudicarmos o nosso próximo pelo fato de nos influenciarmos indevidamente.

Claro que não é tarefa fácil, pois a imparcialidade é algo que, para se conseguir, deverá partir de raciocínio, o que muitas vezes é superado pelo sentimento.

Nossa mente deverá ou deveria ser mesmo treinada para, ao assumirmos uma situação de risco, de raciocínio e de julgamento, tenhamos a isenção de ânimos, e se sabe que ficar isento, muitas vezes, se torna quase impossível.

Mas o pior seria cometermos uma injustiça, e descobrirmos depois, quando não seria fácil alterar uma situação já definida anteriormente.

Pensar antes de cometermos uma injustiça, seria o ideal para não nos arrependermos mais tarde, quando não tivermos a oportunidade de consertar algo que se tenha tornado definitivo.

Por isso a justiça à qual nos recorremos, seja nosso juízo particular ou a pública, deverá partir do que seria justo e correto, com respeito à igualdade de todos os seres humanos.

Bom domingo, pensando bem no nosso senso de justiça para não cometermos atos dos quais nos arrependamos mais tarde 🙂

Feliz Dia das Mães!

Amanda

Publicado em maio 12, 2019, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. anacarlawerle5

    Olá gostei muito de seu blog e de seu conteúdo,parabéns pelo seu trabalho,lhe convido a visitar o meu também chama-se costruindo sonhos
    Bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s