Possessividade

Quem possui esse tipo de sentimento, automaticamente, tem muito ciúme, pois a posse inspira o sentimento de exclusividade que não permite a divisão.

É uma espécie de egoísmo que costuma fazer parte de quem ama sem limites e sem pensar no sofrimento que a possessividade exagerada costuma trazer ao convívio, seja em que tipo de convivência for, de amantes, familiares, companheiros de negócios e outros.

Conheci casais que sofreram e sofrem sem que tentem se corrigir desse sentimento de posse inconveniente e acabam curtindo sem controle esse tipo de atitude, a ilusão de posse com o qual acabam se acostumando.

E através desse sentimento vão se habituando com o ambiente de brigas que o ciúme desperta, e até traz prazer e alegria ao fazerem as pazes.

Alegria quase sempre passageira, pois na primeira oportunidade tudo recomeça, e muitas vezes acompanhada até mesmo de violência física.

E assim, recomeçam, normalmente, as ofensas costumeiras e as pazes depois de certo tempo.

Conheci casais que se habituaram a agir dessa forma e sempre diziam se amar demais. Interessante que não deixava de ser verdade pois faziam muito um pelo outro, mas todo esse companheirismo vinha mais tarde acompanhado de discussões, na maioria das vezes, inúteis.

Situação difícil de ser solucionada, pois se diz que existe um certo prazer na discussão em si, dependendo, claro, da personalidade de cada um de nós.

Eu já não tolero mesmo esse tipo de discussão inócua, que vem do ciúme e da possessividade, e não leva a nada.

O ciúme gera a discussão que antecede a briga, muitas vezes séria, e sem retorno.  E a falta de confiança em si próprio é um dos fatores primordiais para que o ciúme venha a se manifestar, pois a pessoa se acha sempre inferior ao que realmente é, e isso traz a insegurança.

Claro que necessitamos de grande esforço de vontade para mantermos novas ideias e, consequentemente, novas atitudes, pois haverá um luta com as velhas ideias, mas aí é que temos que desenvolver nossa força de vontade.

Importante sempre, não nos deixarmos dominar pela nossa tendência ao domínio de uma situação, e nos habituarmos a combater a possessividade, tentando sempre melhorar nosso convívio, sem possessividade e principalmente sem ciúme, que pode acabar com belíssimas relações.

Abraços e bom domingo, sem ciúme e sem possessividade exagerados 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em setembro 24, 2017, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Muito bem falado , Amanda , esse traço de personalidade é particularmente feio, aborrecido e diminui o encanto …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s