Cumprimento de deveres

Ouvimos que estarmos sempre animados e cumprindo nossos deveres são características especiais e perfeitas.

Claro que não atingiremos jamais a perfeição em nenhuma parte de nossa vida, seja material ou espiritualmente.

Mas, cumprir os deveres aos quais nos predispomos para nossa vida, sejam eles materiais, espirituais, sociais ou profissionais, deve ser sempre uma obrigação que temos que cultivar, independentemente de nossa situação financeira, social ou cultural.

Nosso próximo forma uma idéia de nossa pessoa, de acordo com nossas ações durante nossa vida, e sofremos as consequências, inevitavelmente, sem retorno. E sem a oportunidade, muitas vezes, de corrigirmos o que foi feito. Isso é o pior.

Nossa imagem é formada de acordo com as atitudes que tomamos, se somos pontuais, se agimos corretamente em diversas situações, se não traímos a confiança dos amigos por uma situação que nos expuseram, e outras ocasiões que exigem de nós, principalmente, a fidelidade.

Essas são características que marcam a nossa personalidade, nosso caráter, que está sempre colocado à prova, seja social, financeira ou emocionalmente.

Mas a imagem é algo que devemos cultivar, provando sempre nossa seriedade e firmando características de franqueza e honestidade em relação às obrigações que nos impusermos.

A fim de conseguirmos resultados de eficiência administrativa e econômica, devemos também investir nas competências e especialidades isoladas de cada indivíduo, e dessa forma, poderemos alcançar uma execução satisfatória.

Por isso, temos que considerar também os limites, e aproveitarmos as tendências naturais que se apresentam em cada um de nós, sem impormos padrões demasiado rígidos, e que, ao invés de eficiência podem se demonstrar inadequados.

Temos que agir assim em todos os ramos de atividades, e em nossa vida particular, referindo a compromissos assumidos, tanto profissionais, quanto sociais, referentes ao nosso público, e também aos nossos companheiros de trabalho, sócios, etc.

Aprendemos, desde cedo, que temos que agir de acordo com regras em casa, com nossos pais, com os nossos auxiliares, enfim, com todos os que fazem parte de nossa vida, seja no aspecto social, familiar, ou quando somos atendidos em alguma empresa com a qual nos relacionamos, ou da qual dependemos.

Os deveres nos são ditados e impostos pela cultura, pois eles são instituídos pela civilização, e sua falta ou descumprimento traz sempre um tipo de sanção, por isso devemos ter em mente a nossa capacidade de suportar ou não aprovação ou reprovação que nossa atitude possa desencadear.

Então, se de um lado, a vida em grupo nos traz benefícios, como abrigo, conforto e proteção, nos traz também obrigações que a vida em comum nos impõe.

As obrigações nos são ditadas pela cultura à qual pertencemos e por isso temos que compreender o óbvio, pois os deveres não são, eles devem ser.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em abril 2, 2017, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s