NUNCA: evite a palavra

Sempre ouvi de nossos pais de tentarmos evitar o uso da palavra nunca, pois ela exprime uma antipática negativa.

É um radicalismo que só nos lembra como nada é definitivo e devemos ser maleáveis, dentro de nossos conceitos e limites.

Claro que poderemos nos deparar com situações criticas, mas sempre passíveis de revisão.

E, como disse um grande filósofo, quem pensa muda, portanto devemos estar permeáveis a mudanças, dependendo, inclusive, da ocasião e do momento vivido.

Sabemos que existem circunstâncias, independentes de nossa vontade ou de nossa capacidade, em que temos sempre a esperança de que possamos mudar algo, em nossa vida, seja profissional ou pessoal.

Mas essa esperança deverá ser acompanhada de nosso raciocínio, no sentido de sabermos o que pode ser esperado ou não.

E, de acordo com essa probabilidade, vamos nos entregando a uma luta, no sentido de tentarmos sempre alcançar o nosso objetivo e os resultados positivos.

A esperança que devemos ter é o que nos move para tentarmos conseguir chegar onde planejamos, e seguir até determinado objetivo ao qual nos propusemos, e que achamos seja o ideal em determinada situação.

Claro que sabemos, sempre ao iniciarmos uma luta por algo que desejamos, que podemos ou não obter os resultados pelos quais viemos lutando, mas ao mesmo tempo, devemos estar prevenidos quanto a algum resultado inesperado, para não sermos vitimas de decepção que nos faça sofrer por algo negativo que venha a acontecer.

Agora, se pensamos ou falamos sempre a palavra “nunca”, facilitaremos a sensação de fracasso que pode nos acompanhar e prejudicar nossas atividades, amizades e resultados que esperamos e dos quais precisamos.

Lembrando sempre: nunca faça um convite na negativa, como: “você não quer um café?” A pergunta na negativa já predispõe a resposta: “não quero, obrigada”.

E, mesmo que tenhamos a sensação de que não teremos jamais uma oportunidade de realizarmos algo que desejamos, a última atitude a tomar seria a de desânimo ou de nos desiludirmos de nossa capacidade para conseguirmos o resultado desejado.

Mesmo porque, com os tempos atuais de tantas informações e condutas tão polimorfas, impõe-se fazer uma seleção ou filtragem, para que certos comportamentos não nos submetam a atitudes anti-sociais.

Temos que depurar o que nos chega, e promover o encaixe ao pequeno mundo que nos cerca e, assim, sermos produtivos e bem vistos, conseguindo agradável convívio social.

Para isso, temos que cultivar a expectativa de realização, e nesse caso tentarmos conservar o ânimo.

Vamos, portanto, manter o entusiasmo para que obtenhamos resultados no que empreendermos, evitando de usarmos a palavra NUNCA.

Abraços e bom domingo, animados e SEMPRE com esperança de realizarmos nossos objetivos 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em janeiro 22, 2017, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Amanda você está certa ao dizer que não devemos pronunciar a palavra nunca !! A gente pode mudar de opinião, dependendo dos acontecimentos !! Bjos !! Eleonor

  2. joaquimjpneto@gmail.com

    Olá boa noite!!!

    Obrigado Amanda!! Que Deus possa iluminar sempre seus caminhos Grande abraço, boa semana para você !

    Att

    Joaquim Neto (34) 8806-5373

    >

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s