Reivindicar

Reivindicar é o que consideramos justo quando achamos que temos o direito a algo que não nos foi concedido e que seria de nosso merecimento.

Mas eu sempre procurei ter precaução no sentido de não viver reclamando de tudo, o que aconteceu, o que não aconteceu, porque fomos, porque não fomos, etc.

Reparem que nossa tendência pode ser essa, a não ser que aceitemos aquilo que não temos a capacidade ou o propósito de modificar, ou que não se coadunaria com nossa vontade ou finalidade.

E, se por acaso não o fizemos, seria um dos casos onde não caberia determinada reivindicação, pois cairia em campo completamente sem condições de modificações.

Claro que numa compra de algo em que não tenhamos sido atendidos como desejávamos, caberia, com toda razão, uma reclamação, pois geralmente pagamos por algo em que teríamos o direito já instituído, até mesmo por lei, de receber algo que não tenha vindo de acordo com nossa compra ou encomenda.

Evidentemente, no caso, se cabe uma reclamação que podemos até levar ao órgão competente, como o da defesa do consumidor, que poderá nos ajudar a solucionar um problema, muitas vezes evitando um acidente ou um mal maior.

Mas reivindicar é algo relativo, pois, se temos razão, tudo se torna lógico e compreensível até para a parte que recebeu a reclamação.

Como tudo neste nosso mundo existem dois lados, dois ângulos, duas maneiras de se resolver, em nossa vida também poderemos passar a examinar sempre os dois lados de uma questão, pois dependendo de determinada situação, tudo muda completamente quando julgamos detalhadamente.

É interessante também que consigamos julgar com isenção de ânimos, para não sermos injustos em reivindicações estéreis, que podem nos levar a nenhum lugar.

Assim, temos que tentarmos também ser tolerantes e estudar o assunto com dedicação, quando somos nós a receber uma reivindicação, se a fazemos em determinada ocasião, da mesma maneira que gostaríamos de ser atendidos quando somos nós a reclamar.

Sempre temos que analisar os dois ou mais lados, se queremos agir com honestidade e imparcialidade.

Devemos convir que não é tarefa fácil, mas a nossa convivência é sempre uma luta a ser vencida.

No nosso lar, sempre que algo não corra bem de acordo com o que gostaríamos, claro que temos que nos comunicar com a pessoa responsável e falarmos de como gostaríamos que tudo fosse executado. Uma reivindicação saudável para o bom convívio.

Mas importante, seja na vida pessoal, social ou profissional, é que tudo pode e deve ser dito e feito com educação e gentileza, pois com certeza alcançaremos melhores resultados, sem nos esquecermos de que todos gostam de receber o tratamento humano.

Vamos, sempre, nos colocarmos no lugar de quem recebe a reclamação, e se fazemos tudo para deixarmos nossos consumidores, amigos e familiares satisfeitos nas nossas atividades e atitudes, vamos ver como deverão ser feitas nossas reivindicações.

Isso, provavelmente nos deixará mais mansos em nossa maneira de reclamar.

Abraços e bom domingo, sem reivindicações desnecessárias 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em julho 10, 2016, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Lembra-me a admiestação do Eclesiastis:
    ” Não importa o que eu obtenha, é insuficiente …”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s