Sensatez 

Um dos aspectos da sabedoria é conseguirmos ficar calados, sem discutir muito, ao ouvirmos algo que não concordamos ou não gostamos.

Um pensador já disse:

“Quem se cala, nem sempre concorda; às vezes, é apenas o desejo de não discutir com idiotas”.

Essa afirmação é muito radical, não concordo, pois as opiniões divergentes das nossas deverão ser sempre respeitadas, mesmo se não concordamos com elas.

Claro que, nem sempre, o que ouvimos são bobagens e ditos não aproveitáveis, e sim, idéias que podemos utilizar e até mesmo servirem de orientação a quem necessita. Aí entra a sensatez de análise da validade de uma informação.

Inclusive, temos que investir sempre em prestarmos atenção e retirarmos de provérbios e ditos inteligentes o melhor que nos podem ensinar, pois geralmente foram proferidos por pensadores, filósofos, escritores, com vivência humana tal, a ponto de conseguirem discernir atitudes de sabedoria e aprendizado.

Mas, como diz o divertido provérbio acima, concordar, muitas vezes, é mais fácil e cômodo, dependendo de quem opina, naturalmente.

Existem pessoas que não sabem ouvir opiniões diversas das suas próprias, por falta total de humildade e reconhecimento de que poderiam ser melhores do que as suas.

Não devemos pensar que somente nossas idéias são infalíveis e que nunca erramos em nossos julgamentos e planos que fazemos.

Muito embora, claro, nem tão radical como a brincadeira acima, uma grande parte das vezes, fica mais fácil concordar do que discutir com certo tipo de pessoa que teima em não querer aprender, nem entender idéias e conceitos diferentes dos seus.

E nesse caso, o melhor que fazemos é concordar, para que a disputa não tome um rumo desagradável de teimosia estéril.

A insistência em fazer prevalecer um ponto de vista pode levar a situações de constrangimento e, com isso, perdermos a oportunidade de expor nossas opiniões com elegância e com mais chances de serem acatadas.

Toda vez que uma exposição de idéias é feita com alteração de voz fora do contexto ou em ocasião inoportuna, perdemos a chance de convencermos nosso interlocutor, pois a irritação pode tomar conta do diálogo, e a conversa, um rumo que não era bem o desejado. Ou ficar interrompida.

Aí entra a sabedoria de conseguirmos expor nossos conceitos e opiniões com calma e com a certeza de fazê-lo sem que haja um clima de disputa e constrangimento.

Devemos sempre nos firmarmos para sermos sensatos e sabermos o momento certo em que podemos ou devemos tentar impor nossos pontos de vista.

Assim, evitamos criar uma oportunidade de discussão que possa constranger os circunstantes e terminar um papo que vinha sendo agradável e construtivo.

Cuidemos para não perdermos nossa personalidade e capacidade de análise, pois nessa hora é que poderemos diferenciar o sensato do teimoso vazio.

Abraços e bom domingo, com muita sensatez 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em agosto 2, 2015, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Seu artigo demonstra sua experiência em sociedade, a difícil arte de expormos nossas idéias sem criarmos um impasse . Tem particular utilidade para as mulheres , que no fim das contas são as que comandam a vida social …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s