Muros ou Pontes?

“Se você se sente só, é porque provavelmente construiu muros ao invés de pontes”.

Li e concordo com essa frase, pois muitas vezes nem nos percebemos de quando erguemos muros ao invés de tentarmos as pontes da comunicação entre as pessoas com quem gostaríamos de conviver.

Pois os obstáculos não são somente físicos, mas, muitas vezes simplesmente insinuados, o que pode tirar inteiramente a disposição de interlocutores de emitirem suas opiniões, seus valores pessoais, suas idéias a respeito de qualquer tópico abordado inicialmente.

Se já no início de um determinado assunto nos colocamos com uma opinião inflexível, fica difícil argumentarmos sem que se crie um mal estar inicial.

Temos que estar abertos a novos argumentos para que consigamos o ideal que seria o diálogo, a conversa, a exposição de pontos de vista, com os quais podemos aprender se estivermos dispostos. Mas para isso, devemos ter a nobre humildade de expor as diferenças de opiniões sem que hajam críticas ou ofensas desnecessárias.

Mesmo porque, no caso de somente ouvirmos comentários desagradáveis, essa atitude pode interferir demais na nossa autoconfiança, e com isso diminuir nossa produtividade e criatividade.

Por isso, se construímos pontes simbólicas de comunicação, para que as críticas não ofendam a quem queremos ajudar, essas pontes poderão ser transpostas com simpatia e interesse.

O que, nesse caso, facilita tremendamente a abordagem no sentido de ajudarmos na transformação ou na atitude a ser tomada, sem que a pessoa se sinta ofendida, porque se isso acontece, ao invés de se sentir ajudada, ela vai resistir até mesmo a uma ajuda que lhe poderia ser extremamente útil.

Assim, a abordagem, mesmo quando oferecemos algo, deve ser cautelosa para não construirmos um muro, o que dificultaria tremendamente a comunicação, mas sim uma ponte.

A ponte é um meio de entendimento, de entrosamento entre as pessoas para que tudo possa transcorrer de maneira mais fácil e, com isso, podermos obter os resultados pelos quais lutamos.

Basta olharmos uma figura de uma ponte para compreendermos que significa um meio de acesso a outros locais, muitas vezes diferentes e nos quais observamos e aprendemos.

Já os muros sempre nos dão a idéia da falta de travessia, de diálogo, de troca de conceitos, nos impedindo de aprender, e, portanto de progredir.

É simbólica e importante essa troca, pois vemos exemplos no mundo, tanto político, como social e geográfico.

Ao ser derrubado o muro de Berlim, foi possibilitada a aproximação das pessoas, que antes estavam tão próximas, e no entanto não conseguiam se encontrar ou se ver.

Quantas descobertas devem ter ocorrido, quantas surpresas ao descobrirem um mundo novo além daquele muro, que os impediu por tantos anos de acompanhar o progresso e conhecer pessoas com outras idéias, outras intenções e outras realizações.

Construamos, portanto, pontes que nos levarão a progressos de todas as formas, e a aprender e viver outras histórias, sempre com as novidades que nos serão apresentadas, uma vez derrubada nossa resistência.

É simbólico, mas prático:

Construa pontes de comunicação e aprendizado e derrube os muros e barreiras, mesmo que pareçam resistentes.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em abril 19, 2015, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Querida Amanda:
    Duas palavras subjetivamente antagônicas que levam a argumentos de conteúdo e significado.
    Algumas vezes vezes tive que construir muros para preservar minha segurança e privacidade mas, construir pontes sem temer desilusões é meu principal objetivo. Bjs

  2. Que tema lindo, infelizmente nos mesmo construímos estes muros, deixamos de nos relacionarmos com pessoas maravilhosas, e alcançarmos nossos sonhos.
    Um lindo domingo

  3. Ione, Juliana e Niege

    Os seus textos e os da Chris são sempre ricos. “Ruim é aquele que aos seus não puxa”. E nós ganhamos e aprendemos com vocês. Deus as ilumine sempre!
    Imagino o orgulho do pai e avô de vocês!

  4. ” Like a bridge over troubled water
    I ‘ll ease your mind”

  5. Sueli Puccinelli Geraldi

    Que tema espetacular amiga querida! Se só existissem pontes no nosso caminho, como a vida seria mais prazeirosa e construtiva! Adorei!
    Bjos e saudades!!!

  6. “Muros de pedra não fazem uma prisão/
    Barras de ferro não constroem uma cela,
    Almas inocentes e silenciosas,/
    “Usam isto como ermida”. (Lovelace)

    Bom domingo, querida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s