Arquivo diário: dezembro 14, 2014

Retribuição

“Sempre retribua o mal com o bem”.

Linda frase, difícil de ser seguida na maioria das opiniões que tenho ouvido.

Como retribuir algo de mal que recebemos com o bem, se não estivermos muito bem preparados intimamente? Isso quer dizer, um nível avançado de maturidade emocional e espiritual, que muitos levam uma vida toda, ou muitas mais, para alcançar.

É necessário um sentimento muito grande de desprendimento, pois o mal que tenhamos recebido pode ter nos prejudicado de uma forma que não conseguimos esquecer com facilidade.

Mas, justamente aí reside a diferença entre as pessoas que possuem essa faculdade de perdão e conseguem retribuir o que receberam de mau com algo bonito e bom.

Poucos conseguem, de fato, fazer o bem a quem os tenha eventualmente prejudicado, mas estou certa de que se essa retribuição puder se realizar, e se pensarmos bem, deixando fluir nossa boa emoção, poderemos agradecer o fato de nosso coração nos permitir esse sentimento tão sublime.

A retribuição, como um dos significados, é algo oferecido como agradecimento, mas na verdade pode ser o ato de premiar algo que se recebeu, seja material ou emocionalmente.

Imagine que num momento de tristeza ou de fracasso de alguma atividade, alguém nos console, nos traga algum conforto, através de palavras, de um gesto de carinho.

Numa outra ocasião, essa mesma pessoa poderá estar na posição contrária, necessitando de um consolo, e você deverá, sem dúvida nenhuma, retribuir o que havia recebido anteriormente.

O trabalho de alguém que acabou de nos fazer um favor também pode ser retribuído com uma ajuda material, ou um simples e carinhoso “muito obrigado.”

É importantíssimo sabermos e conseguirmos dizer essas duas palavras, mas pensam que é simples? Tem quem não consiga.

Conheço gente fina, educada, bem criada, que simplesmente não consegue expressar um agradecimento, apesar de acabar de ter recebido um favor.

Isso é negar que precisou da pessoa, pois tem gente que não consegue admitir, mesmo no seu íntimo, que necessitou de ajuda.

Se acha auto-suficiente, talvez por um defeito de sua criação, talvez por orgulho, jamais admitindo que precisou que alguém complementasse uma tarefa que acredita ser unicamente sua obrigação.

Tem gente que se sente humilhada por precisar de alguém, e, muitas vezes, quem se dispôs a ajudar estaria simplesmente, até de certa forma, retribuindo um favor que já havia recebido dessa mesma pessoa.

Muitas vezes, um sorriso significa retribuição a um gesto que foi feito por alguém e que, naquele momento, nem imaginaria o valor e o calor que emitiu.

Fez o favor por ser de sua essência, sua criação, seu íntimo, sem esperar a retribuição.

Isso é uma atitude de desprendimento, de quem faz por ser sua maneira de viver, super elogiável, mas certamente teria ficado ainda mais feliz mediante um reconhecimento de quem recebeu o favor ou a gentileza.

O princípio da retribuição é humano, simpático, e deve ser considerado um dever de humanidade entre as pessoas que, com certeza, se sentirão muito bem consigo mesmas ao fazê-lo.

E aqui, eu tento retribuir a todos vocês que me prestigiam com sua atenção e sua leitura 🙂

Abraços e com domingo,

Amanda