Arquivo diário: novembro 24, 2013

Eu choro, e daí?

Interessante que muitas pessoas sentem vergonha ao se emocionarem e seguram o choro, pensando que podem ser classificadas de fracas ou inseguras.

Eu já penso completamente diferente e admiro imensamente quem consegue  expressar um sentimento, seja ele por que motivo for, através de lágrimas.

Acho lindo, principalmente em se tratando, por exemplo, de homens, que muitas pessoas insistem em tratar como super-homens e que, portanto, não poderiam e não deveriam expressar nenhum sinal de fraqueza humana.

Eles tem que ser, na opinião dessas pessoas, superiores e, portanto, o choro seria sinal de uma debilidade que não poderia combinar com seu machismo.

Engano, pois conheço gente muito especial, não importa o sexo, gente que realiza, que tem atividades produtivas, e que por acontecimentos ou situações que provoquem emoção, choram sem nenhum pudor.

Não sentem a necessidade de ocultar o que lhes toca o coração.

Para mim, essas pessoas são dignas de admiração, por conseguirem expor sua realidade através de suas emoções.

Chorar faz bem à saúde.  Lavamos a alma.

Aliás, alguns neurocientistas dizem mesmo que o choro atua como calmante, como um desabafo que alivia nossa tristeza e nossa tensão.

Mas como tudo na vida, o segredo é o equilíbrio.

Temos que ter cuidado para não exagerar e chorar por qualquer motivo fútil, por qualquer coisa que não deu certo, porque perdemos alguma condução, algum horário, ou algo também sem muita importância.

Claro, temos que ter controle e não ficarmos nos derramando em lágrimas a todo momento, exageradamente.

Mas chorar faz bem.  Choramos de amor, de tristeza e de saudade.

Eu choro mesmo quando fico triste por sentir falta de minha mãe, quando me lembro de sua presença forte e gentil todo o tempo ao nosso lado.

E não tenho vergonha de chorar quando falo dela, mas é um choro de saudade e de amor.

Podemos também chorar de alegria, por termos atingido um resultado positivo em algo que estivéssemos esperando, por uma emoção de estarmos nos unindo a alguém a quem amamos, ao ver nossos filhos atingirem um resultado esperado, e outros motivos que fazem com que nossa emoção exploda em lágrimas de alegria.

E aí, mais do que nunca, eu choro mesmo, e daí?

Abraços e  bom domingo , sem lágrimas 🙂

Amanda