Lealdade

Sempre entendemos a lealdade como a qualidade de quem é leal.

Claro, é a definição mais adequada e a mais usada por todos nós, ligada à fidelidade, sem sombra de dúvida.

Mas quando falo fidelidade, quero dizer fidelidade aos preceitos de honra, decência e honestidade.

Acho importante distinguir a ausência de traição do sentido mais compreensivo que dou a palavra lealdade na minha vida.

Leais, para mim, não são só pessoas que não traem.  São pessoas que “honram” seus compromissos, tanto sociais, quanto financeiros e amorosos – e os cumprem com retidão e responsabilidade.

Falamos, por exemplo, da lealdade do cão ao seu dono.  Isso todos nós conhecemos.  Mesmo que não tenhamos cães, acompanhamos essa relação através de nossos filhos e amigos que gostam e os têm.

A lealdade deles é algo emocionante e impressionante, pois os animais sentem conosco qualquer tipo de emoção que estamos sentindo naquele momento.

Eles se tornam, na verdade, a companhia ideal, sem cobrança, só dão amor, sem pedir nada em troca de seu afeto desinteressado.

Isso é lealdade pura.

E deveria sempre ser assim.

A lealdade desenvolvida por nós em relação a outros seres, sejam animais ou humanos, deve nos encher de felicidade e servir para tornar nossa vida mais alegre.

Lealdade de idéias, por exemplo, é muito importante.  Devemos defender nossos pontos de vista sem nos deixar influenciar por vantagens, sejam financeiras, sociais, ou de outro aspecto que nos for apresentado.

Do ponto de vista amoroso, nem se fala.

Confiamos em quem dedicamos nosso amor e afeto e, automaticamente, damos e exigimos a lealdade, mesmo que isso não seja objeto de discussão entre os casais.

Nos parece natural oferecermos a nossa lealdade, não negarmos a nossa dedicação que transparece com nossas atitudes, até mesmo nos defendendo de situações que poderiam, eventualmente, nos levar a uma traição – que não é o mesmo de deslealdade.

Nos desinteressamos de objetos, de algumas comidas, de trabalho, e deixamos também de amar pessoas pelas quais já fomos apaixonados.

Isso não é deslealdade.

Deslealdade seria nos enganar em relação a esses sentimentos.

Já traição seria mentir aos outros sobre esses sentimentos.

Ser verdadeiro é ser leal, mesmo que, às vezes, doa.

Para se viver bem consigo mesmo e com o próximo é importante ser leal com seus próprios princípios, com seus ideais, sua propositura de vida e sua maneira de pensar e agir.

Isso é lealdade pura, que traz uma conscientização de nossa força íntima e a tranquilidade para vivermos melhor.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em novembro 3, 2013, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Como é essencial ser leal às nossas verdades… Muito bacana o texto!

    Uma excelente semana! Gilberto.

  2. Amanda, que texto bonito e sincero, me faz bem ler os seus textos segunda de manhã! Boa semana!

    Beijos

    Jessica

  3. Mais uma vez te digo…quem te conhece sabe o que este post reflete teus pensamentos.
    Parabéns

  4. Marina Renaux de Sabrit

    Perfeito, Amanda!!!

    Marina de Sabrit

    (55) 11 9 9265 5000 marina@sabrit.com

    http://www.marinadesabrit.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s