Nossas origens

Eu acredito muito no respeito às origens das quais viemos, seja no sentido racial, educacional, e que de alguma forma tiveram influência na nossa criação.

Meu pai, Alberto Montalvão, por exemplo, tinha como objetivo principal os estudos que ele se dispôs a fazer durante sua vida, e que ele iniciou muito cedo, com sacrifício financeiro, pois não era possuidor de grandes recursos.

Mas sua vontade era muito forte, e ele conseguiu realizar todos os seus sonhos, estudou direito, escreveu muitos livros de psicologia e conquistou fama como escritor.

Respeitando sua inclinação e sua cultura, conseguiu que meu irmão e eu tomássemos o gosto pelo estudo, e nos incentivava sempre desde crianças, quando participávamos de brincadeiras culturais, até adultos que conseguimos estudar e nos formarmos em carreiras bem-sucedidas.

Claro que sabemos que nem sempre os resultados são esses, pois todos temos tendências diferentes, muitas vezes, daquelas que nossos pais gostariam, mas de certa forma, todos se esforçam para fazer aquilo que os pais teriam planejado.

De outro lado, como pais, temos que respeitar as tendências dos nossos filhos, pois se isso acontecer, normalmente os resultados serão também muito satisfatórios, de acordo com a individualidade deles e seu próprios sonhos.

Mas, quando falamos de nossas origens, não seria somente sobre tendências referentes a estudos, e sim também de culturas que herdamos e que podem nos ajudar durante nossa vida adulta.

Na maioria das vezes, de fato, nada tem a ver com a origem racial, local de moradia, pois algumas tendências nascem conosco, e tudo depende de como as desenvolvemos.

Evidentemente, as origens às quais pertencemos influem de certa forma em nossa personalidade, pois vamos crescendo e aprendendo aquilo com que convivemos, as idéias que nos são expostas, conversas entre nossos pais e parentes, amigos que pertencem ao nosso ambiente, tanto social quanto escolar e profissional.

Sem serem propositais, nossos pais transmitem sempre seus costumes, aquilo que eles entendem como sendo o ideal para a educação de seus filhos, idéias que a seu ver transmitem suas verdades, em qualquer aspecto da vida do dia a dia.

Sendo que essa transmissão é feita até mesmo através de atitudes que assistimos como normais durante a vida, e que aprendemos no decorrer dos acontecimentos que vamos vivendo e enfrentando.

Evidentemente, nem sempre os descendentes seguem aqueles que lhes deram a vida e os criaram, pois tem uma carga genética que temos que respeitar, mas o fato de tentarmos educar nossos descendentes à nossa maneira, que achamos sempre ser correta, ou mais adequada à nossa vida, já é válido.

Em principio, devemos tentar seguir nossas origens, e até mesmo melhorar o que pudermos, atingirmos o maior numero de pontos positivos, produzirmos o que for possível e, dessa forma, transmitir aos nossos descendentes o que for de melhor para a vida de  todos.

Assim, vamos honrar nossas origens, uma homenagem aos nossos pais que de forma geral, lutaram para que nosso futuro fosse brilhante e bem-sucedido.

Abraços e bom domingo, respeitando sempre nossas origens 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em julho 8, 2018, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Norma Bobadilla de

    Excelente querida Amanda !👏👏❤️Amei ! Beijos 😘

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s