Intolerância

Intolerância é uma das características mais estranhas e inconvenientes que podemos encontrar em algumas pessoas, dificultando muito o convívio.

Muitos não toleram absolutamente nenhuma falha, sendo que deveríamos admitir que falhas são naturais em todos nós, seres humanos.

Falhamos, muitas vezes, em nossos propósitos de fazer algo por alguém que esperava uma demonstração de carinho de nossa parte, falhamos por não desculparmos algum erro de nossos amigos ou parentes, e essa falta de tolerância pode ocasionar realmente um afastamento, até mesmo sem volta.

Devemos e temos que desenvolver um nível de tolerância para que possamos ter uma convivência pelo menos agradável, se não puder ser íntima e constante.

Claro que temos em nosso convívio muitos níveis de intimidade, uns se tornam mais íntimos, até mesmo por descobrirmos uma série de afinidades naquilo que desenvolvemos em nossa vida, seja no mundo da arte, da literatura, profissional, enfim, da própria vida na sociedade em que vivemos.

Mas, mesmo num contato um pouco menos profundo, temos que desenvolver um nível de tolerância que nos permita conviver sem nenhum desagrado, sem muita exigência para que não tornemos o dia a dia difícil de seguirmos em contato, nem que seja meio superficial.

Devemos ter cuidado também para que a cobrança não seja algo constante, se não quisermos que a convivência se torne desagradável e que nos tire até mesmo a vontade de desenvolver uma relação mais sólida, uma amizade que cresça e não que comece a se desmoronar muito cedo.

A intolerância pode interromper um contato positivo por não suportarmos o que acharíamos ser um falha no outro ou por uma má vontade no sentido de sermos atendidos nas solicitações que tenhamos feito.

Bons relacionamentos dependem de nossa boa vontade, tolerância e nosso esforço consciente para compreender as atitudes dos outros, sem cobranças.

A intolerância é uma falta de habilidade ou vontade de tolerar algo, tanto no sentido cultural, como no social, no religioso e no prático, e para tentarmos não nos tornarmos tão intransigentes, temos que usar nosso raciocínio e boa vontade para procurarmos entender o comportamento dos demais, que pode ser até mesmo referente a educação recebida e do berço em que nasceram.

Claro que temos nossas opiniões a respeito de cada tipo de atividade no mundo em que vivemos, mas nem por isso precisamos ser intransigentes e intolerantes. Assim, devemos raciocinar e ver em que ponto as opiniões diferentes das nossas estariam nos prejudicando.

Na maioria das vezes, em nenhum aspecto. Portanto, sejamos mais tolerantes!

Abraços e bom domingo, com muita tolerância 🙂

Amanda

Anúncios

Publicado em maio 21, 2017, em Inteligência Social e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Sim, um equilíbrio delicado ….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s