Arquivo diário: julho 21, 2013

Decepção

Quantas vezes ouvimos alguém dizer que se decepcionou com a atitude de outras pessoas ou com o desenvolvimento de algo que esperava e que não se concretizou?

A decepção está associada à tristeza e frustração, porém a intensidade do desapontamento normalmente é proporcional ao tempo, ao valor que damos ao que esperamos e à magnitude de nossa expectativa.

Sim, porque tudo o que planejamos vem carregado de esperança no sentido de bons resultados para o sucesso de qualquer realização.

E além de idealizarmos resultados que esperamos e desejamos, promovemos expectativas que, se não chegam, nos frustra e nos faz infelizes.

Nos decepcionamos quando alguém a quem amamos, seja em que âmbito for, age de maneira que não esperávamos e nos leva ao que chamamos de desilusão.

E isso não se reflete somente na área amorosa, mas também nas amizades, cuja sinceridade é imprescindível para nossa segurança emocional.

Sob outro aspecto, se nos decepcionamos com alguém a quem queremos bem e não tenha agido da forma que estaríamos esperando, o ideal seria tentar entender o que teria levado essa pessoa a agir de forma inesperada.

Muitas vezes podemos ser vítimas de algum mau comentário por parte de outra pessoa, e um bom diálogo poderia esclarecer uma situação de risco para uma inimizade indesejada.

Igualmente nos negócios, planejamos e, muitas vezes, conseguimos efetivar até certo ponto, dentro de nossa capacidade de realização, mas corremos o risco de nos decepcionarmos se não atingimos  o nosso objetivo.

Temos que estar preparados psicologicamente para que uma possível decepção sofrida não interrompa o curso da criação de algum projeto que, apesar de parecer fracassado, pode  ser passível de modificações que o tornem um sucesso.

Perder a esperança, jamais!

Ir  à luta é a palavra de ordem, pois nada conseguimos sem nos  arriscarmos, evidentemente dentro de uma medida de segurança e equilíbrio que devemos nos impor sempre.

E temos que ter em mente que uma decepção também pode ser algo que nos impulsione e nos ensine, no sentido de executarmos melhor numa próxima tentativa.

Depende de nós podermos desenvolver nossa capacidade de análise de determinada situação e encarar um possível fracasso como um incentivo para  vencermos o imprevisto.

Uma atitude de prevenção e estudo pormenorizado em tudo o que planejamos seria o ideal para diminuirmos a possibilidade de uma decepção maior e que poderia causar transtornos, muitas vezes irremediáveis.

Estudar muito bem possibilidades de sucesso em todas as áreas da atividade humana pode ser uma das soluções para tentarmos evitar ou diminuir frustrações, e por conseguinte, decepções que poderiam nos levar ao desânimo e continuidade de luta.

O esforço no sentido de não nos desanimarmos pode frequentemente ser  recompensado, pois lutamos quando temos o estímulo interior e afrontamos o fracasso com a garra necessária para atingirmos o sucesso.

Antes de nos decepcionarmos definitivamente, devemos tentar uma solução madura e sem ressentimentos prévios.

Espero que meus blogs não os decepcionem, pois isso me incentiva a continuar 🙂

Abraços e bom domingo,

Amanda