Arquivo diário: janeiro 31, 2016

Características

Quando falamos de características, pensamos sempre em defini-las como qualidades ou defeitos.

Acho um tremendo engano e leviandade nos forçarmos a acreditar que elas devam ser classificadas em uma das duas categorias, pois dependendo de quem as julga, tudo muda, começando pela classificação.

Na verdade, a mesma característica pode significar para uns, uma qualidade, e para outros um defeito, dependendo de vários fatores, como a idade, a educação que cada um recebeu, o valor que se imprime a tudo no momento em que estamos vivenciando.

O que pode nos servir numa determinada época de nossa vida, em outra ocasião podemos julgar completamente inadequado, ou vice versa.

Mudamos de acordo com nossos sentimentos e juízos que, muitas vezes, podem ser contraditórios, e segundo nossa natureza, até mesmo, parecer incoerentes, mas baseado naquilo que antes poderiam nos parecer altamente digno de nossa crítica.

Por isso, as características com as quais nos deparamos, seja nas pessoas que nos cercam, com quem trabalhamos ou quem acabamos de conhecer, não devem ser julgadas precipitadamente, para não incorrermos no risco de errarmos, e muitas vezes sem termos a oportunidade de nos retratarmos.

Uma análise de nós mesmos poderá nos ajudar em relação a qualquer julgamento, pois, como diziam nossos avós, fica sempre meio injusto encararmos o que chamamos de erros alheios e nos esquecermos inteiramente de nossas particularidades que poderiam estar desagradando nosso próximo.

Temos que pensar bem antes de nos entregarmos à tentação de criticar, para evitarmos o mal estar da cobrança do nosso alvo, inclusive passando a citar, num momento difícil, as nossas características que desagradam e as quais as pessoas não tiveram coragem de mencionar.

Evito, sempre que posso, de fazer alguma critica, sem ser solicitada. Se solicitada, digo o que penso sem tentar me impor, pois, na verdade, ninguém gosta ou aceita de boa vontade a opinião de uma mudança seja em que âmbito for.

A maioria das pessoas que nos pede uma apreciação, normalmente já está decidida, e espera o apoio, por uma questão de segurança pessoal, mas se somos solicitados, nada nos custa opinar, pois nos lembramos de características, de circunstâncias que não ocorreram a quem nos pediu uma opinião, uma idéia, ou até mesmo uma solução.

Características são traços de uma personalidade, que fazem a distinção entre as pessoas. Simples assim.

Nosso propósito deverá, portanto, ser o cultivo de particularidades que achamos positivas e tentarmos eliminar as que achamos negativas em nosso caráter, para que possamos viver pacificamente com as pessoas que nos cercam, seja no âmbito familiar, social ou profissional.

Claro que temos características que trazemos ao nascer, mas com a nossa vivência e maturidade, poderemos tentar modificar as tendências que não apreciamos em nós, e com essa atitude melhorarmos nossa atuação, nossa vida e nossos relacionamentos.

Melhorar sempre nossa convivência é o grande segredo.

Abraços e bom domingo 🙂

Amanda